Notícias /

Programa de rastreamento do câncer de mama atende 570 mulheres em Itapitanga

22/03/2014 17:08

Com a expectativa de atender 570 mulheres com mais de 50 anos, o Programa Estadual de Rastreamento do Câncer de Mama – Estratégia Itinerante chegou, neste sábado (22), a Itapitanga, município a 70 quilômetros de Itabuna, no sul da Bahia. O início dos atendimentos, que prosseguem até quarta-feira (26), contou com a presença do governador Jaques Wagner, do secretário estadual da Saúde, Washington Couto, e de outras autoridades.

Segundo o governador, o rastreamento é um programa estadual lançado em outubro de 2011, considerado por ele como fundamental. “A prevenção e a descoberta precoce é o que possibilita a cura do câncer. E depois, oferecemos todo o tratamento, quando a doença é diagnosticada”. Wagner falou que o governo está levando programas de saúde para o interior do estado. “Outro exemplo é o Saúde em Movimento, para tratamento de catarata, que já realizou mais de cem mil cirurgias em toda a Bahia”.

Solange dos Santos, 53 anos, mora em Cafundó, distrito rural de Itapitanga. Ela fez o exame pela primeira vez na vida e diz que se não fosse o programa, teria dificuldade para realizá-lo. “Eu teria que sair de casa às 5h30 da manhã e só ia voltar às oito da noite, perder o dia inteiro em Itabuna, gastar dinheiro com transporte e alimentação. Hoje nos saímos às 6h, agora são 9h e eu já fui atendida”.

Mais de 118 mil mamografias

O programa de rastreamento do câncer de mama, segundo o secretário Washington Couto, já realizou mais de 118 mil mamografias em 183 municípios baianos. Couto informou que, após o primeiro exame, as mulheres que necessitarem de um diagnóstico mais aprofundado farão a checagem por ultrassom e biópsia no próprio município. “E nos casos confirmados da doença, as mulheres terão toda a cobertura para o tratamento, com quimioterapia, radioterapia, remédios, cirurgia e cuidados pós-cirúrgicos”.

Os exames são realizados em um caminhão equipado com dois mamógrafos, onde cada equipamento tem capacidade para realizar 70 mamografias/dia, totalizando 140 mamografias/dia/unidade. Após a mamografia, num segundo momento, são realizados os exames diagnósticos complementares para as pacientes que apresentarem imagens inconclusivas.

A ação, iniciada em outubro de 2011, se consolida como uma proposta complementar às ações já desenvolvidas no estado referentes à Saúde da Mulher, que percorrem os municípios baianos, através de unidades móveis, realizando Mamografia Bilateral de Rastreamento.

O diferencial desta estratégia é o acompanhamento das mulheres com imagens inconclusivas após a mamografia, com a oferta de exames complementares para o diagnóstico e o encaminhamento ao tratamento, visando a integralidade do atendimento.

Secom
Saúde da mulher/rastreamento itapitanga

Notícias relacionadas