Notícias /

Centro Obstétrico do HGRS retoma funcionamento normal

14/04/2014 20:14

Iniciativas adotadas pela Diretoria do Hospital Geral Roberto Santos, várias delas já previstas antes mesmo da deflagração do movimento por meio de entidade sindical representativa dos profissionais médicos, resultaram na retomada do funcionamento pleno do Centro Obstétrico (Emergência) da Maternidade Dulcinéia Moinho. O movimento foi iniciado na última semana do mês de março, sob alegação de déficit no número de médicos plantonistas e falta de equipamentos como ultrassom e cardiotocógrafo.

Será feita a reposição das equipes médicas, com a contratação para preenchimento de 15 novos postos de trabalho sob o regime CLT para plantões de 12 horas semanais de segunda a sexta-feira e de 24 horas nos finais de semana. O objetivo é adequar o número de profissionais a quatro médicos diariamente, nas 24 horas. Também será oferecida aos médicos, a partir de maio, capacitação em Ultrassonografia Obstétrica por meio de convênio firmado entre a Escola Estadual de Saúde Pública e a Caliper, estendido às demais maternidades da rede própria estadual.

Com referência aos equipamentos solicitados, já estão em uso dois cardiotocógrafos novos, sendo um no Centro Obstétrico e outro na Enfermaria de Obstetrícia (3º andar); um terceiro cardiotocógrafo, usado, encontra-se de reserva no setor de Manutenção. Também foram adquiridos, por Registro de Preço, detectores fetais de mesa e portáteis (06), que ficarão dispostos nos Consultórios e salas de Observação e de Pré-Parto – atualmente, há quatro detectores portáteis em uso no C.O., onde já funciona um aparelho de Ultrassom desde junho

do ano passado. A reforma das instalações físicas está prevista para começar no dia 22 de maio.

A diretora técnica Materno-Infantil do HGRS, Alcione Bastos, intermediou e conduziu reuniões na Secretaria da Saúde do Estado da Bahia, Sesab, juntamente com representantes da Superintendência de Atenção Integral à Saúde (SAIS) e Diretoria de Gestão da Rede Própria (DGRP), para tratar dessas e de outras questões, como a reforma do Centro Obstétrico. “Em nenhum momento fomos procurados nem recebemos documento formal por parte do Sindicato dos Médicos”, afirmou a diretora, ressaltando que a reforma das instalações físicas do C.O. já estava prevista desde 2013, com projeto elaborado mediante parceria com a Fundação Estatal Saúde da Família, dentro das ações do programa Rede Cegonha, do Ministério da Saúde. As instalações das Enfermarias da Maternidade, no 3º andar do HGRS, já se encontram em fase adiantada, esta em parceria da Sesab e Grupo Ação Social G10.

B.F. – DRT/BA 1158 / Ascom HGRS
HGRS/centro obsterico

Notícias relacionadas