Notícias /

HEOM começa a fazer teste rápido para detectar tuberculose

05/06/2014 18:56

Nesta quarta-feira (11), a diretoria do Hospital Especializado Octávio Mangabeira (HEOM) coloca em funcionamento a realização do teste rápido para detecção da tuberculose e de resistência à Rifanpicina, antibiótico usado no tratamento da doença. De acordo com o diretor da unidade, Renan Araújo, todos os equipamentos necessários para a realização desses testes já estão montados. “Este é um avanço na área da tuberculose que vai oferecer uma maior rapidez na detecção da doença”, explicou.

A tecnologia, denominada Gene Xpert, detecta a presença do bacilo causador da tuberculose em duas horas, além de identificar se há resistência ao antibiótico Rifampicina. Atualmente, em média, dois meses são necessários para suspeitar da resistência e então se iniciar a realização dos exames convencionais para confirmar ou descartar a resistência ao medicamento.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima a existência de 9 milhões de casos de tuberculose, sendo que 3 milhõe3s deles não são detectados, ficando esses doentes sem tratamento médico adequado. Atualmente, o país ocupa a 16ª posição entre os 22 com maior carga de tuberculose e a 111ª posição em taxa de incidência.

Dados na Bahia

Na Bahia, nos últimos cinco anos, os casos novos de tuberculose diagnosticados variaram de 5.636 em 2009 a 4.873 em 2013. Em Salvador, neste mesmo período, os casos novos variaram entre 2.057 em 2009, e 1.846 em 2013. Ao comparar com a estimativa de casos para este período, segundo as recomendações do Ministério da Saúde, tanto a capital como o conjunto do estado diagnosticaram 84% dos casos previstos.

Nos últimos cinco anos as mortes atribuídas à tuberculose tiveram maior registro em 2010 com 406 vidas perdidas e 2012 teve a menor ocorrência com 358 óbitos. Apesar da redução no número de ocorrências, em 2013 houve um incremento de 3,9% em relação ao ano anterior, registrando 372 mortes por tuberculose.

L.S./M.Tb.909-Ba
/heom/teste rápido