Notícias /

Estado e iniciativa privada fazem parceria para tratamento do câncer

18/07/2014 01:25

A Bahia está investindo na pesquisa contra o câncer e na produção de biomarcadores moleculares voltados para os exames da doença. O Complexo Médico Delfin e Centro de Produção de Biomarcadores Moleculares foi inaugurado na noite desta quinta-feira (17), em Lauro de Freitas, com a presença do governador Jaques Wagner, do ministro do Trabalho, Manoel Dias, do secretário da Saúde do Estado, Washington Couto, da secretária da Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado, Andrea Mendonça e outras autoridades.

O Complexo, especializado em pesquisa, diagnóstico e tratamento de todas as etapas da doença gerou 300 empregos diretos, com o investimento de aproximadamente R$ 60 milhões, sendo que o Estado proporcionou a aquisição de um aparelho de Tomografia por Emissão de Pósitrons acoplado a uma Tomografia Computadorizada (PET CT 610), no valor de mais de R$ 1,9 milhão, por meio do Programa Estadual de Incentivo à Inovação Tecnológica (Inovatec), da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti).

Como contrapartida, a empresa realizará, durante três anos, 20 exames mensais gratuitos de PET/CT pelo Sistema Único de Saúde. Cada exame custa hoje cerca de R$ 3,5 mil.

Para Wagner, o Inovatec está investindo e qualificando o empreendimento. Ele destacou outras parcerias com a iniciativa privada. “O Hospital do Subúrbio é uma delas, temos também o maior programa de rastreamento do câncer de mama do Brasil, em parceria com a Delfim, e que já atendeu a mais de 200 mil mulheres em mais de 200 municípios baianos. No Saúde em Movimento, já ultrapassamos as 120 mil cirurgias de cataratas, realizadas em unidades móveis”.

O secretário da Saúde, Washington Couto, ressaltou que o complexo de saúde vai tratar pacientes oncológicos com mais rapidez e promover o desenvolvimento da pesquisa, além da fabricação dos radioisótopos. “A gente fica feliz porque a Bahia sai na frente nesta tecnologia. É a assistência aliada à pesquisa e à tecnologia de ponta”.

Atendimento pelo SUS

O presidente do grupo, Delfin Gonzales, explicou que o atendimento pelo SUS será feito a partir do ambulatório. “Os pacientes serão encaminhados para a área de oncologia por seus médicos. Eles vão passar pela triagem da Secretaria de Saúde do Estado e chegar aqui com os seus pedidos de exame”.

Segundo Gonzales, sem a parceria do Estado seria difícil tornar o empreendimento uma realidade. “É necessário um alto investimento e condições técnicas específicas. A parceria com o Estado e com o município permite que tudo seja feito em tempo hábil”.

De acordo com a secretária da Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado, Andrea Mendonça, o Inovatec é um programa que incentiva a pesquisa e a inovação, assim como diversas outras iniciativas da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb). “Com o novo equipamento adquirido pela Secti, será possível a produção, na Bahia, do elemento radioativo utilizado nos exames e que, durante a viagem para a sua aquisição, perdia a qualidade”.

Estrutura

O complexo está divido em três departamentos. O Biofármaco vai produzir e comercializar o Fluordeoxiglicose-18 (FDG), um biomarcador utilizado nas modalidades de exames importantes para o diagnóstico do câncer.

O PET-CT é o equipamento adquirido para o desenvolvimento e aplicação de novos marcadores e testes clínicos, em parceria com o Inovatec, e está em fase de licenciamentos para operação. O último é o setor de Radioterapia que, assim como o Biofármaco, já está em pleno funcionamento.

Secom
/compl.delfin/inauguração