Notícias /

Internos do Hospital Lopes Rodrigues ganham Residências Terapêuticas

20/08/2014 17:39

Um marco importante para a reforma psiquiátrica na Bahia acontecerá no próximo dia 28, quinta-feira, com a saída de seis moradores do Hospital Especializado Lopes Rodrigues (HELP), em Feira de Santana, para Residências Terapêuticas no município de Coração de Maria. Os serviços de Residência Terapêutica, instituídos pelo Ministério da Saúde como parte da Política de Saúde Mental, são locais de moradia destinados a pessoas com transtornos mentais, internadas por longo tempo em hospitais psiquiátricos ou hospitais de custódia e tratamento, assim como aquelas que utilizam outros serviços de saúde mental e não contam com suporte familiar para garantir espaço adequado de moradia.

Para obter esse avanço, equipes da unidade hospitalar e da Área Técnica de Saúde Mental da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) investem na pactuação para implantação destas moradias junto aos municípios baianos e já contam com a adesão de sete municípios para a implantação de oito serviços de Residência Terapêutica (SRT). No próximo mês de setembro, mais 14 moradores do HELR irão para residências terapêuticas nos municípios de Araci e Euclides da Cunha.

Cuidado em liberdade

Segundo técnicos da área de Saúde Mental da Sesab, a Reforma Psiquiátrica na Bahia começa a aparecer de forma mais concreta esse ano, com a expansão da Rede de Atenção Psicossocial/RAPS, que prevê o cuidado em liberdade para pessoas com transtornos mentais e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, e a desinstitucionalização nos hospitais psiquiátricos ganhando celeridade.

No HELR, em Feira de Santana, ainda com 210 leitos e 168 moradores, continuam os investimentos para o fortalecimento do cuidado em saúde mental e a saída das pessoas que estão internadas há longo tempo, já sem vínculos familiares e sociais.

Os moradores dos hospitais psiquiátricos, por terem sido excluídos da sociedade e lesados no seu exercício de cidadania, desde 2001 têm direito à moradia e benefício, pagos pelo Ministério da Saúde, como uma forma indenizatória. As Residências Terapêuticas são mantidas com recursos financeiros anteriormente destinados aos leitos psiquiátricos.

O SRT ou residência terapêutica ou simplesmente “moradia” – são casas localizadas no espaço urbano, constituídas para responder às necessidades de moradia de pessoas portadoras de transtornos mentais. O número de usuários pode variar desde um indivíduo até um pequeno grupo de no máximo oito pessoas, que deverão contar sempre com suporte profissional sensível às demandas e necessidades de cada um. O suporte de caráter interdisciplinar (seja o CAPS de referência, seja uma equipe da atenção básica, sejam outros profissionais) deverá considerar a singularidade de cada um dos moradores, e não apenas projetos e ações baseadas no coletivo de moradores.

A.G. Mtb 696/Ba
Saúde Mental/residência