Notícias /

Pioneira, UTI Neonatal do Hospital Roberto Santos funciona há 15 anos

17/03/2015 20:07

Em 16 de março do ano 2000, a Bahia ganhou sua primeira Unidade de Terapia Intensiva Neonatal na rede pública de hospitais, que tinha, então, apenas quatro leitos. Hoje, a UTI Neonatal do Hospital Geral Roberto Santos – ou UTI NEO, como costuma ser chamada pelos profissionais da casa – conta com 12 leitos e é referência para todas as patologias cirúrgicas neonatais em todo o estado, especialmente as malformações do sistema nervoso, central e periférico.

A comemoração pelo 15º aniversário contou com a presença do primeiro paciente admitido ali. Acompanhado da mãe e da irmã, João Gabriel participou de uma festa organizada pela equipe da unidade, atualmente coordenada pela médica neonatologista Dina Lúcia Daltro. Ela conta que João Gabriel ocupou um leito da UTI após uma cirurgia de hérnia diafragmática. Enfermeiros e técnicos de enfermagem já aposentados também compareceram, assim como o ex-coordenador, Hans Greve, e a diretora Técnica Materno-Infantil, Alcione Bastos.

“Nossa UTI Neonatal é referência em todo o estado. Aqui são operados pacientes recém-nascidos procedentes de toda a Bahia, e há alguns que chegam inclusive em UTI aérea. Além de todas as patologias cirúrgicas, também realizamos a cirurgia intraparto no caso das gastrosquises, que é quando o bebê nasce com as vísceras expostas. Essa cirurgia é feita no momento do parto, antes de cortar o cordão umbilical, seguindo uma técnica desenvolvida na Argentina”, explica Alcione.

Especialidades

Os 15 anos de funcionamento foram festejados de forma diferente. “Foi um encontro comemorativo, em que foi feito um levantamento da importância da unidade, os avanços existentes ao longo desse tempo e as adversidades, aquilo em que precisamos melhorar”, disse a coordenadora Dina Daltro.

A UTI Neonatal do HGRS conta com um grupo de cirurgia pediátrica 24 horas e a colaboração de profissionais de diversas especialidades em neonatologia, além de exames de imagem como os de ultrassom e ecocardiografia na beira do leito. Da equipe inicial, ainda permanecem cinco médicos e quatro técnicos de enfermagem.

B.F.DRT/Ba 1158
/hgrs/15 anos

Notícias relacionadas