Notícias /

Mães de crianças autistas se reunem no futuro Centro de Referência

02/04/2015 14:03

Na semana em que se comemora o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, mães de crianças portadoras da síndrome se reunirão hoje falar sobre o assunto. O encontro vai acontecer no futuro Centro de Referência para o Autismo (CRA), espaço localizado na Escola de Puericultura Raymundo Pereira de Magalhães, em frente à praça do Campo Grande.

Durante o encontro, cerca de 40 mães de crianças autistas vão explanar suas experiências com o transtorno, as dificuldades do tratamento e da socialização das crianças autistas, contribuindo, assim, para a construção desse projeto pioneiro no Estado da Bahia, além de praticarem exercícios lúdicos com profissionais especializados.

Na ocasião, também será apresentado o novo espaço, totalmente reformado. Quando estiver funcionando, o CRA deverá atender cerca de 200 crianças e adolescentes, entre idades de 6 meses e 21 anos incompletos com o transtorno.

O projeto do CRA pertence à Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil, uma das mais tradicionais instituições filantrópicas do Estado da Bahia, atuando há 93 anos na assistência à criança. A reforma do espaço finalizada em janeiro, financiada através de um convênio firmado com a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

O trabalho a ser desenvolvido contemplará uma assistência com métodos e técnica terapêutica específica de excelência às crianças portadoras de Transtornos do Espectro do Autismo (TEA), buscando matriciar as unidades de saúde de toda rede credenciada do Estado, garantindo assistência aos pacientes e seus familiares, promovendo a inovação científica e o aperfeiçoamento profissional para o cuidado da criança autista.

O centro, com previsão de começar a funcionar em julho desse ano, será a primeira unidade de referência para o tratamento do transtorno em todo o Estado da Bahia. Para o custeio do CRA, a Sesab deverá finalizar um convênio, para funcionamento do projeto. Entretanto, ainda é necessária a aquisição de mobiliários, equipamentos hospitalares e terapêuticos, além de brinquedos educativos, que totalizam R$ 300 mil. Qualquer pessoa pode colaborar com doações em mobiliários e equipamentos, ou com doações em dinheiro. O telefone para informações é o 71 3032-3773.

O Autismo na Bahia e no Brasil

O autismo é uma síndrome que afeta três áreas: a comunicação, a socialização e comportamentos padronizados. Essa tríade é o que caracteriza o transtorno, que hoje afeta cerca de 2 milhões de pessoas (1% da população), segundo o Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, da Universidade de São Paulo.

Na Bahia, não existem estudos epidemiológicos, apenas estima-se que existam cerca de 70 mil autistas no Estado. As dificuldades do autista variam em grau e intensidade. O comprometimento pode ser muito grave e estar associado à deficiência mental, ou tão leve que o portador do transtorno consegue levar uma vida próxima do normal.

O autismo não deve ser considerado como doença, e sim, como um distúrbio do desenvolvimento complexo, de nível comportamental, manifesto antes dos três anos de idade. Quanto mais cedo for diagnosticado, melhor será a evolução e resposta ao tratamento. Crianças adequadamente acompanhadas podem desenvolver habilidades fundamentais para sua reabilitação.

Ascom do Martagão Gesteira
Autistas/centro

Notícias relacionadas