Notícias /

“Sala de Espera” no Cedeba reforça ações educativas para famílias de crianças e adolescentes com diabetes

29/04/2015 17:43

“Nunca imaginei que pudesse ter um Centro como esse. Com tanta firmeza, que faz me sentir muito bem”. O depoimento de Rita Menezes dos Santos, da cidade de Laje (interior da Bahia), foi feito hoje, ao participar do Programa “Sala de Espera”, que o Centro de Diabetes e Endocrinologia do Estado da Bahia (Cedeba), unidade da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), está desenvolvendo até o final de maio com as famílias (mães na quase totalidade) de crianças e adolescentes com diabetes.

Mãe de um filho adolescente, de 14 anos, que teve o diagnóstico de diabetes há 11 meses, Rita conta que “foi um choque muito grande receber a confirmação do diagnóstico. Inicialmente levei meu filho a um médico particular, mas em dezembro vim para o Cedeba, que muito tem me ajudado a conviver com a nova realidade e a superar as dificuldades.”Aqui – ressaltou – temos um equipe com médico, enfermeira, assistente social e psicólogo, muito importante para o apoio que precisamos”.

Socialização de Experiências

O Projeto “Sala de Espera”, que acontece no espaço da Brinquedoteca do Cedeba, e tem o objetivo de reforçar as ações educativas para famílias de crianças e adolescentes com diabetes, esta semana trouxe o tema “Importância da Família no Tratamento”, com apresentação da assistente social do Cedeba, Elisangela Paulino, apresentado durante três dias. Nos encontros, as famílias tiram dúvidas, socializam suas vivências e trocam experiências.

Elisangela enfocou a importância da família para o sucesso do tratamento das crianças e adolescentes com diabetes. É preciso – destacou – ficar atento, com o paciente, mas é fundamental que os pais tenham cuidado com a própria saúde, pois precisam estar bem para cuidar dos filhos com diabetes. Um momento que exige atenção especial é a adolescência, fase sempre mais difícil. Uma das mães observou que “precisamos acompanhar o tratamento porque o adolescente tende a querer ser independente e a desobedecer.”

Maria Delza Fagundes dos Santos, avó de Clara Beatriz, de nove anos, contou que leva a neta para andar de bicicleta, e que a atividade física tem ajudado muito a manter o diabetes sobre controle. Clara leva uma vida normal, mas quando a família teve o diagnóstico da doença foi muito difícil: glicose de 650 e hospitalização durante seis dias. Ela estava com três anos. Ao receber a alta, foi encaminhada para o Cedeba, onde vem sendo acompanhada.

Este mês, as famílias também tiveram apresentações sobre o tema “Trabalhando as Emoções” (Psicologia) e Cidadania (Direitos e Deveres). Na próxima semana, de 4 a 8, a equipe médica apresenta o tema “Cuidados Especiais”. De 8 a 15 de maio, a Enfermagem enfoca “Hipoglicemia/Insulina). De 18 a 22 de maio, “Alimentação Saudável”. A programação de 25 a 29 de maio será focada na contagem de carboidratos.

A.M.V. Mtb 694/Ba
Cedeba/Sala de Espera

Notícias relacionadas