Notícias /

Campanha de vacinação contra influenza tem dia D neste sábado

07/05/2015 17:59

A 17ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, que o Ministério da Saúde, em parceria com as secretarias estaduais e municipais de Saúde, iniciou na segunda-feira (4), tem o dia ‘D’ de mobilização nacional, na Bahia, neste sábado (9), quando serão instalados postos nos shoppings Barra, Itaigara e Piedade, em outros diversos pontos de grande circulação de pessoas e supermercados. A população a ser imunizada no estado é estimada em cerca de 6,5 milhões de pessoas.

Durante toda a campanha, a vacina estará disponível nas unidades de saúde dos municípios até o próximo dia 22. O público alvo são pessoas com idade a partir de 60 anos, trabalhadores de saúde, povos indígenas, crianças na faixa etária de seis meses a menores de cinco anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

A influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que afeta o sistema respiratório e pode levar a complicações graves e ao óbito, especialmente nos grupos de alto risco para as complicações da infecção (crianças menores de 5 anos de idade, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais).

A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém-contaminadas por secreções respiratórias pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz.

Redução das internações hospitalares

A principal forma de prevenção em saúde pública para a influenza é a vacinação. A campanha anual, realizada entre aos meses de abril e maio, vem sendo ocorrendo desde 1999, e, ao longo dos anos, contribuiu para a prevenção da gripe nos grupos vacinados, além de apresentar impacto de redução das internações hospitalares, gastos com medicamentos para tratamento de infecções secundárias e mortes evitáveis.

Fonte: Secom

Notícias relacionadas