Notícias /

Fórum no HGRS lança manifesto pela educação aos pacientes

01/06/2015 19:19

Considerando a educação como um direito da pessoa em situação de adoecimento e internação hospitalar, o coletivo de professores das Classes Hospitalares e Domiciliares do município de Salvador lançou, hoje (1º), o Manifesto do Fórum de Classe Hospitalar e Atendimento Pedagógico Domiciliar, durante fórum realizado no Hospital Geral Roberto Santos. Classe Hospitalar é como o Ministério da Educação denomina o atendimento pedagógico-educacional em ambiente hospitalar.

Estudantes que precisam se afastar da escola por internação hospitalar tradicional ou por atendimento em hospital-dia e hospital-semana tem direito a atendimento pedagógico-educacional no próprio ambiente em que está tratando da saúde, e os professores defendem a manutenção desse direito. “O lugar situado da Classe Hospitalar na interface Saúde e Educação: protagonismo subjacente às políticas de inclusão e atenção à diversidade” é o tema central do Fórum de Classe Hospitalar e Atendimento Pedagógico Domiciliar do município de Salvador.

De acordo com a professora Jurema Sampaio, vinculada à Secretaria Municipal da Educação e integrante da comissão executiva do fórum, a Classe Hospitalar se configura como um programa da prefeitura de Salvador, e, nessa condição, é uma atividade vulnerável, sujeita à vontade dos gestores. “Queremos transformá-la em política pública de governo e, para isso, chamamos a sociedade civil, em especial as instituições que tratam do direito da criança e do adolescente”, afirmou. Segundo a professora, existem classes hospitalares em vários hospitais, casas de apoio e domicílios em Salvador. Jovens e adultos também são atendidos pelo programa.

O fórum tem, como principal objetivo, promover melhor compreensão e entendimento acerca das políticas públicas e de inclusão que viabilizam o atendimento de crianças, adolescentes, jovens e adultos afastados de suas escolas por adoecimento. Implantadas pelo município de Salvador em 2001, as Classes Hospitalares funcionam sob a gerência da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (SECADI), que busca apoio das políticas intersetoriais entre saúde e educação para a manutenção dessa atividade.

B.F – DRT/1158
Ascom HGRS 

Notícias relacionadas