Notícias /

Programa do Cedeba de Acolhimento para pacientes com obesidade: ação da equipe multidisciplinar

17/09/2015 18:10

Quando chegam ao Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba), unidade da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), para o tratamento da obesidade, os pacientes, em sua maioria, manifestam o desejo pela cirurgia bariátrica, verbalizado com o “quero me operar”. Mas, como observa a nutricionista Lorena Fracolossi, “o paciente passa pelo Programa de Acolhimento, onde ele aprende que a cirurgia é a última tentativa, após dois anos de tratamento clínico para o emagrecimento e que, mesmo após a cirurgia, ele precisará manter o plano alimentar, fazer atividade física, usar os medicamentos prescritos e comparecer às consultas.

Hoje pela manhã, na reunião trimestral do Programa de Acolhimento do Núcleo de Obesidade, no auditório do Centro de Atenção à Saúde ( CAS), pacientes se reuniram para aprender sobre obesidade com o médico, nutricionista, fisioterapeuta, enfermeiro, assistente social e psicólogo. Em meio aos novos pacientes, também estavam alguns que já estão sendo acompanhados no Cedeba, mas participam para reforçar os conhecimentos, como faz a dona de casa, Maria Vitória Santos, 54 anos.

Com o tratamento clínico no Cedeba, conseguiu reduzir o peso de 115 para 102 quilos e, segundo os médicos, se continuar emagrecendo, não precisará fazer bariátrica. A obesidade trouxe para Maria Vitória pressão alta e dores nas articulações. Já Flavia de Almeida, 29 anos, pesando 120 quilos, sonha com a cirurgia bariátrica. “Sou obesa desde criança. Já tentei tudo, mas não consigo permanecer magra”, disse. A obesidade, segundo ela, é motivo de brincadeiras de mau gosto, apelidos e também impediu que ela conseguisse emprego. Mas o problema mais grave são as dores articulares, notadamente nos joelhos, impedindo-a de fazer atividade física, de grande importância para o processo de emagrecimento.

Alimentação Saudável

Atentos às explicações da equipe multiprofissional de saúde, os participantes do Programa de Acolhimento aprenderam com a nutricionista Lorena Fracalossi a importância da alimentação, que “é vital à manutenção de um corpo sadio, tornando-se um dos princípios básicos para uma vida saudável”.

Segundo a nutricionista, muitos pacientes revelam que fazem apenas duas grandes refeições por dia, com pouca variedade de alimentos, sem a inclusão de frutas e verduras. No Cedeba, eles aprendem a mudar o padrão alimentar e a seguir o plano alimentar que é construído levando em consideração a realidade social, cultural e econômica de cada paciente.

Muitos pacientes acreditam que fazendo a bariátrica terminam as preocupações com a alimentação. Ao contrario: mastigar bem os alimentos passa a ser ainda mais necessário, bem como fazer pequenas refeições a cada três horas, como explicou a nutricionista. No Cedeba,os pacientes no tratamento da obesidade, aprendem a importância do plano alimentar, bem diferente de dieta, esta geralmente cumprida de segunda a sexta-feira, e abandonada no final de semana.

Com a cirurgia bariátrica, em muitos casos, acontece a remissão do diabetes e hipertensão. O paciente pode não precisar de medicamentos para o controle das duas doenças, mas ele terá obrigatoriamente que usar suplementos vitamínicos para ter saúde. Tudo isso o paciente aprende antes de fazer a cirurgia.

Também a atividade física, que o paciente com obesidade alega não fazer, em razão das dores articulares, será imprescindível após a cirurgia para que a manutenção do peso seja assegurada por toda a vida.

Depois de aprenderem sobre alimentação saudável, a fisioterapeuta Lorena Arruda entrou em ação, movimentando os participantes com exercícios de alongamento, enfatizando a importância da postura, da contração do abdômen, até mesmo na realização de tarefas domésticas para proteger a coluna lombar.

No tratamento multidisciplinar da obesidade, há situações em que o paciente é encaminhado a uma unidade da rede SUS para tratamento fisioterápico específico. O trabalho do Cedeba em Fisioterapia é focado na prevenção. Há também a parceria Cedeba/Sudesb, que oferece aos pacientes com obesidade aulas de natação, hidroginástica e dança de salão.

A.M.V. Mtb 694/Ba
Cedeba/acolhimento

Notícias relacionadas