Notícias /

Reforço da autoestima no Dia Nacional de Prevenção da Obesidade

07/10/2015 17:52

O Dia Nacional de Prevenção da Obesidade – 11 de outubro – que, a partir deste ano, passa a ser Dia Mundial da Obesidade, com a adoção oficial da data pela IASO (Wolrd Obesity Federation), será marcado nesta quinta-feira (8 de outubro), no Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba), unidade da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), como o “Dia da Autoestima”, tendo como slogan “Saúde é Atitude”.

As atividades começam às 8 horas, no auditório do Centro de Atenção à Saúde (CAS), com oficinas voltadas para o tratamento do corpo: oficina de turbantes, maquiagem, cabelos e massagem nos pés. O trabalho será acompanhado pela equipe multidisciplinar do Núcleo de Obesidade do Cedeba, como explicou a nutricionista Lorena Fracalossi, ao justificar a importância do foco das atividades. Um dos problemas que acompanha a obesidade é a baixa autoestima.

Os pacientes com obesidade são alvo de apelidos jocosos, enfrentam dificuldade para comprar roupas, situações que contribuem para afetar a autoestima. Pacientes que se libertam da obesidade contam que antes não conseguiam emprego e também enfrentavam dificuldade nos relacionamentos afetivos.

CUIDADOS

Segundo a Associação Brasileira para Estudos da Obesidade e Síndrome Metabólica (ABESO), a obesidade é um dos maiores problemas de saúde atualmente e para o futuro. E o alerta: crianças obesas poderão vir a ser adultos obesos, com maior probabilidade de desenvolver diabetes, doença cardíaca, altas taxas de câncer e outros problemas de saúde.

Mais de 42 milhões de crianças menores de 5 anos estão acima do peso no mundo, das quais 35 milhões estão em países em desenvolvimento e 92 milhões de crianças com risco para sobrepeso e obesidade. No Brasil, dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF 2008- 2009), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram um aumento da obesidade de mais de 300% entre meninos, indo de 4,1% em 1989 para 16,6% em 2008-2009.

Entre as meninas, esta variação foi ainda maior: 2,4% em 1989 para 11,8% em 2009. Estudos populacionais mostram que a criança obesa tem de 50% a 80% de chance de se tornar um adulto jovem obeso, comparado ao risco menor de 10% em crianças com peso adequado.

A educação é considerada pelos especialistas como fator preponderante no combate à obesidade infantil, inter-relacionada às famílias e seus hábitos de vida. A campanha deflagrada pelo Departamento de Obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, com apoio da Abeso, tem como objetivo chamar a atenção para os riscos do sobrepeso e da obesidade.

A campanha tem o propósito de incentivar o debate sobre o tema e ações para melhoria da qualidade de vida, com mudanças de hábitos alimentares e prática de atividade física. Esclarecer que a obesidade é uma doença e, que exige prevenção, especialmente na faixa da infância.

O foco da campanha é a criança e a família. A criança como agente de mudança da família, trabalhando a conscientização, a educação, a informação, e orientação sobre alimentação, atividade física, boas escolhas. A campanha trabalha quatro princípios básicos para manter a saúde e o peso saudável: comer bem, movimentar-se, beber água e dormir bem.

 

A.M.V. Mtb 694/Ba

Cedeba/diaobesidade