Notícias /

1º de dezembro: Dia Mundial de Luta contra a Aids

30/11/2015 17:58

No dia 1º de dezembro se comemora o Dia Mundial de Luta contra a Aids. Neste dia, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) e a Secretaria Municipais de Saúde de Salvador (SMS), o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids – UNAIDS, a Fundação Pedro Calmon e as Organizações da Sociedade Civil locais, irão promover uma semana de mobilização.

Para marcar a data, a Sesab, através do Centro Estadual Especializado em Diagnóstico, Assistência e Pesquisa (Cedap), promove uma atividade com os profissionais desde a sede do órgão, no Garcia, até o Campo Grande. Durante o trajeto, eles distribuirão preservativos e folders explicativos sobre a doença. Além disso, a Sesab, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, realiza nas bibliotecas: Central, nos Barris, das 9 às 16h, e na Thales de Azevedo, no Costa Azul, das 9 às 18h, atividades de prevenção e testagem de HIV e sífilis.

Dentro da programação, ainda teremos, em parceria com o Instituto Beneficente Conceição Macedo (IBCM), das 16 às 19h, no Porto da Barra, atividades de prevenção e testagem para HIV (fluido oral). Além disso, junto com a Secretaria Estadual de Educação, acontece das 8 às 17h, no Instituto Anísio Teixeira, uma Oficina de Prevenção ao HIV, destinada a jovens e professores da rede pública estadual.

Campanha Zero Discriminação

Neste ano o tema da campanha é Zero Discriminação, já que o preconceito e a ignorância são uma das principais barreiras para o controle da epidemia. O foco das atividades são os jovens, já que em Salvador e Região Metropolitana o número de jovens infectados vem aumentando nos últimos anos.

Para Nilda Ivo, Coordenadora do Programa Estadual de DST, HIV/Aids e Hepatites Virais, “a prevenção em jovens é um desafio que temos de enfrentar para que as novas gerações sejam menos atingidas pela doença. Para alcançarmos esse objetivo se faz necessário a parcerias com outros setores governamentais como a Educação e Cultura e outros segmentos da sociedade”.

Para Javier Angonoa, consultor da UNAIDS na Bahia, ” o problema da discriminação é grave pois afasta as populações mais vulneráveis dos serviços de prevenção e cuidados,” destacou também a “importância fundamental de tratar a prevenção do HIV/aids no âmbito escolar, pois é nos jovens onde está crescendo a epidemia”.

Quadro da Aids na Bahia

Informações divulgadas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep)/Coordenação Estadual de DST/Aids, mostram a trajetória da doença desde 1984, época em que foi detectado o primeiro caso de Aids na Bahia. Daquele ano até setembro de 2014, já foram registrados 24.084 casos de Aids. Destes, 15.104 no sexo masculino (62,7%) e 8.980 (37,3%) no feminino. Este ano, já contabilizamos 451 casos da doença, até o dia 8 de setembro.

Em 2014, a infecção pelo HIV passou a ser agravo de notificação compulsória e foram notificados aproximadamente 1.240 casos. Já em 2015, até o dia 3 de novembro, mais de 950 casos. As faixas etárias nas quais foram registrados os maiores números de Aids nos últimos anos, foram as de 30 a 39 e 40 a 49 anos. No período de 2005 a 2014, foram registrados: 5.868 e 4.126 casos respectivamente nessas faixas etárias.

O município de Salvador, registra anualmente o maior número de casos de Aids. De 2005 a 2014, foram registrados aproximadamente 7.230 casos da doença. Feira de Santana vem em segundo lugar com 853 casos, e Porto Seguro, fica em terceiro, com 360 casos.

Ascom/Sesab
/aids/dia

Notícias relacionadas