Notícias /

Sesab dará apoio a grupo para pesquisas sobre microcefalia

30/12/2015 15:36

O secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, confirmou, nesta segunda-feira (28), o apoio à parceria entre a Universidade Federal da Bahia (UFBA) e a Fiocruz-Bahia na criação de um Grupo Tarefa Interinstitucional, com o objetivo de coordenar esforços para intensificar pesquisas direcionadas à busca de maiores evidências científicas sobre a microcefalia e a infecção congênita pelo Zika vírus. A confirmação foi feita nesta segunda-feira (28) em reunião com o diretor da Fiocruz-Bahia, Manoel Barral Netto, e com o reitor da UFBA, João Carlos Salles.

A iniciativa tem por objetivo ainda o acolhimento e atenção à saúde das crianças acometidas e a busca de novas estratégias de prevenção. O trabalho será realizado em colaboração com as autoridades de saúde do Estado da Bahia.

O Secretário destaca que é importante mobilizar a inteligência científica do país para se buscar novas maneiras de combate ao problema da microcefalia. “É preciso unir esforços, mobilizar as diversas áreas, para que nos dediquemos a esse problema que estamos enfrentando no país”, afirmou Fábio Vilas-Boas.

“A Fiocruz trabalha há longo tempo em colaboração com outras instituições, pois tem como missão contribuir com conhecimento para o Sistema Único de Saúde (SUS). Para que o conhecimento seja efetivamente utilizado no sistema de saúde, busca estreita colaboração com as autoridades de saúde pública. No momento de uma emergência de saúde pública de interesse nacional, a Fiocruz Bahia, juntamente com a UFBA, buscou salientar e reforçar o desejo de trabalhar de forma articulada com a Secretaria Estadual de Saúde do Estado (Sesab) e com o Conselho de Secretários Municipais”, disse o diretor da Fiocruz-Bahia, Manoel Barral Netto.

Número de casos

No Estado da Bahia, até o dia 26 de dezembro de 2015, foram notificados 312 casos suspeitos de microcefalia com perímetro cefálico menor ou igual a 32 centímetros. Os casos ocorreram em 69 municípios, sendo Salvador o que apresentou o maior número, com 173 casos (55%). Em relação à Zika, até o dia 18 de dezembro, foram notificados 64.478 casos suspeitos.

Ascom Sesab
Microcefalia/fiocruz ufba

Notícias relacionadas