Notícias /

Alimentação saudável e atividade física são fundamentais para o tratamento da obesidade

14/01/2016 17:20

– Ah, doutora, eu como feijão com arroz, diz o paciente para a nutricionista, como se tivesse cometendo erro alimentar. E a nutricionista responde – ainda bem que você consome essa mistura. O exemplo foi citado pela nutricionista do Núcleo de Obesidade, do Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba), Lorena Fracalossi, ao abordar hoje o tema “Plano Alimentar, Digestão, Mastigação e Metabolismo, dentro do ciclo de palestras para pacientes com obesidade, iniciado no final do ano passado.

Lorena Fracalossi citou o exemplo para mostrar a importância do consumo de alimentos não processados, desde que preparados de forma saudável. O feijão cozido de forma simples sem carnes salgadas e embutidos, com temperos naturais como alho e cebola é uma boa opção. É preciso evitar – destacou – alimentos processados como as sopas prontas, os sucos de caixas, geralmente ricos em sódio e açúcar, além de aditivos.

Preparação correta

Na palestra, a nutricionista explicou a importância dos grupos de alimentos, enfocando os cuidados na preparação das refeições. Mostrou que os alimentos devem ser preferencialmente assados ou cozidos, mas ser for usar óleo para fritar, usar a quantidade mínima. Ela sugeriu colocar o óleo num borrifador para apenas untar a frigideira.

Além de evitar alimentos processados, a nutricionista mostra a importância do equilíbrio das refeições. O prato deve conter 55% de vegetais, 25% de proteínas (feijão mais a proteína animal) e 20% de carboidratos. É importante também beber de 8 a 10 copos de água por dia, mas é aconselhável evitar líquidos durante as refeições já que perturba a digestão.

Preparar as refeições também é uma atitude muito desejável, em vez de comprar alimentos prontos, industrializados. Uma sopa caseira tem preparação rápida, é saudável e nutritiva defende a nutricionista. É bem diferente das sopas industrializadas, ricas em sódio.

A escolha e preparo dos alimentos não bastam. As refeições devem ser feitas fracionadas em quantidades adequadas e intervalo de três horas. O ambiente também deve ser tranquilo, segundo Fracalossi. O ideal é aproveitar as refeições para a reunir a família à mesa, com televisor e celulares desligados. Comer em ambiente calmo, sentindo o sabor e a textura dos alimentos, mastigando bastante cada porção ajuda bastante para quem precisa reduzir o peso.

Atividade física na cardápio

Quem precisa reduzir peso, além de fazer a reeducação alimentar precisa fazer atividade física: caminhar, dançar, andar de bicicleta, fazer hidroginástica, destacou a nutricionista. A experiência tem mostrado que mesmo os pacientes submetidos à cirurgia bariátrica, se não fizerem atividade física, mais facilmente voltarão a ganhar peso. Logo após a cirurgia com a dieta bastante restritiva em número de calorias, há uma perda acentuada de peso. Se o paciente não faz atividade física, o organismo começa a poupar calorias, deixando o metabolismo mais lento.

Na segunda etapa da palestra, Lorena Fracalossi, abordou o Plano Alimentar, que é bem diferente de dieta. Não é para ser cumprido de segunda a sexta, e deixado de lado nos finais de semana. O Plano Alimentar é individual. Leva em conta a os hábitos e ritmo de vida de cada paciente, que participa da escolha dos cardápios com a utilização da lista de sunstituições. Parte do cálculo do metabolismo basal (quantidade mínima de calorias que cada pessoa precisa para manter as funções essenciais organismo). Depois é estabelecido Valor Energético Total (VET) ,estabelecendo-se o número de calorias do Plano Alimentar.

Lorena Fracalossi destacou que não adianta fazer dietas milagrosas (da lua, da sopa, da proteína, do shake) porque a rápida perda de peso será recompensada com um ganho ainda maior quando a pessoa volta a consumir alimentos que eliminou de forma drástica.

Mais palestras

O ciclo de palestras do Núcleo de Obesidade do Cedeba será retomado no dia 18 de fevereiro com o tema “A Obesidade e seu Tratamento/Cultura Alimentar”, no Centro de Atenção à Saúde (CAS), a partir das 8 horas. O encerramento do ciclo acontece no dia 31 de março com o tema “Reflexões e Considerações sobre a Cirurgia Bariátrica”

Ascom Cedeba
/cedeba/palestra obesidade

Notícias relacionadas