Notícias /

Consórcio Público de Saúde ampliará serviços de saúde na região de Feira de Santana

25/01/2016 20:36

O modelo de Consórcio Público de Saúde foi apresentado a prefeitos e secretários de saúde de 28 municípios da região de Feira de Santana. A exposição foi feita pelo secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, nesta segunda-feira (25), em encontro que ocorreu no Hospital Estadual da Criança, em Feira de Santana.

Os Consórcios de Saúde, que tem nas policlínicas um dos mais importantes equipamentos, são voltados para a ampliação e descentralização de serviços de saúde e o reequilíbrio financeiro dos municípios. No modelo proposto pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), os consórcios envolvem os municípios, que terão a participação do Estado, passando a ficar responsáveis pela gestão regionalizada de serviços, como unidades de pronto atendimento, laboratórios regionais, e, eventualmente, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) e hospitais municipais.

Fábio Vilas-Boas explicou que o governo do estado financiará 40% do custeio do consórcio e os 60% restantes serão rateados pelos municípios consorciados, proporcionalmente à população. “Estamos aqui hoje para poder estimular os municípios a formarem o consórcio dessa região com o estado, o que irá viabilizar várias ações de media complexidade com o co-financiamento do estado”, afirmou o Secretário

Ao todo, na Bahia, já foram formados quatro consórcios: nas regiões de Teixeira de Freitas, com treze municípios; Jequié, formado por dezesseis municípios; Irecê, com dezoito municípios, e Paulo Afonso, com nove municípios. Destes consórcios, o de Teixeira de Freitas e o de Jequié já tiveram os editais para a construção das policlínicas publicados no Diário Oficial, na última sexta-feira (22/01).

O prefeito de Feira de Santana destacou que está inteiramente à disposição para conversar e implantar o consórcio. “Entendo que todos os municípios sairão ganhando com o projeto, principalmente, para resolver problemas que já são antigos, como o atendimento em especialidades e exames de maior complexidade”

Policlínicas

Com o modelo dos Consórcios de Saúde, a meta é construir 28 policlínicas, com até 13 especialidades e 32 serviços e equipamentos – tomógrafos, ressonância magnética, rastreamento de câncer de mama, entre outros exames. O objetivo é que as pessoas não precisem mais se deslocar para a capital a fim de fazer exames, mas que eles sejam realizados nas diversas regiões do estado. As policlínicas oferecem consultas médicas em diversas especialidades, exames de imagem, serviços de apoio diagnóstico e pequenas cirurgias.

Clique aqui e confira mais fotos.

Ascom/Sesab
/consórcios/Feira de Santana

Notícias relacionadas