Notícias /

Plano de ação do Governo da Bahia envolve trabalhadores rurais no combate ao Aedes aegypti

23/02/2016 21:22

Estado com maior número de pessoas que vivem da agricultura familiar – cerca de 700 mil -, a Bahia passa a contar também com o apoio dos pequenos produtores rurais no combate ao Aedes aegypti e, consequentemente, às doenças dengue, zika e chikungunya. O Governo do Estado, por meio das secretarias estaduais de Desenvolvimento Rural (SDR) e da Saúde (Sesab), apresentou o plano de ação que envolve os trabalhadores rurais baianos, na tarde desta terça-feira (23), no Centro de Formação da SDR, localizado no bairro de Itapuã, em Salvador.

Além dos secretários estaduais Jerônimo Rodrigues (SDR), Fábio Vilas-Boas (Sesab) e Eugênio Spengler (Meio Ambiente), o evento teve a participação de diversas entidades que representam o homem do campo, entre elas, a Frente dos Trabalhadores Livres (FTL) e a Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Estado da Bahia (Fetag-BA).

De acordo com o titular da SDR, além dos técnicos que atuam nos Serviços Territoriais de Apoio à Agricultura Familiar (Setafs), a mobilização terá apoio das 33 entidades de assistência técnica selecionadas via edital do governo estadual. “Teremos, neste primeiro momento, o envolvimento direto de aproximadamente 700 pessoas. São agentes de informação, de desenvolvimento, que poderão, com muita tranquilidade, ofertar informações [e] orientar as famílias”.

Material informativo

Jerônimo Rodrigues afirmou que as secretarias municipais de agricultura e desenvolvimento rural, bem como os sindicatos e cooperativas, serão parceiros importantes no combate ao mosquito. “A ideia é que o apelo do governador Rui Costa e da presidenta Dilma possa chegar a cada canto da Bahia”.

A partir desta quarta-feira (23), com apoio da Sesab, a SDR dará início à distribuição de material informativo às entidades parceiras. “Teremos, no dia 1° de março, uma videoconferência pelo sistema do IAT [Instituto Anísio Teixeira] para que possamos informar, orientar e capacitar os técnicos. No dia 12, faremos uma grande limpeza nas áreas da SDR, nos prédios, nos Setafs, nas máquinas que estão paradas, etc”.

Segundo ele, no dia 19 de março, será realizada uma ação para verificar as cisternas. “Queremos [observar] se os sistemas de captação de água, os reservatórios em geral, estão recebendo a devida manutenção, se estão sendo devidamente cobertos para evitar a proliferação do Aedes aegypti”, explicou o secretário de Desenvolvimento Rural.

Movimentos sociais

Para o secretário Fábio Vilas-Boas, a mobilização junto à população que vive na zona rural “é importante porque estamos buscando capilaridade. Precisamos levar informação aos locais mais distantes, à zona rural, às famílias das periferias. Portanto é muito importante envolvermos os movimentos sociais na difusão deste conhecimento”.

O presidente da Fetag-BA, Claudio Bastos, disse que os 410 sindicatos filiados à federação representam trabalhadores da agricultura de todos os municípios baianos. “Acho de fundamental importância esta parceria da Sesab [e] SDR com todos os órgãos ligados à agricultura familiar, aos movimentos sociais da área rural como um todo”.

Ele disse que “é uma grande realização esta parceria. É um trabalho que envolve toda a sociedade. Nós, da Fetag, vamos mobilizar todos os sindicatos, associações e cooperativas num ato de orientação, para que possamos de fato fazer este combate [ao mosquito] e conscientizar o nosso povo também”.

A coordenadora de Educação da Frente dos Trabalhadores Livres (FTL), Mirla Duarte, avalia como fundamental a mobilização do meio rural na prevenção da dengue, zika e chikungunya. “Os trabalhadores são sujeitos que vivenciam a realidade estabelecida no campo. Eles precisam participar destas discussões. A troca de conhecimento é importante e necessária”.

Secom
Zika/rural

Notícias relacionadas