Notícias /

Nota de Esclarecimento – Maternidade de Referência Professor José Maria De Magalhães Netto

26/02/2016 14:14

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) esclarece que foi procurada pela Santa Casa de Misericórdia da Bahia, entidade que administra a Maternidade de Referência Professor José Maria de Magalhães Netto, para informar o desinteresse em continuar gerindo a unidade. Entre os motivos alegados, a gestora aponta suposto desequilíbrio no contrato desde 2011, com a ressalva que, ao longo dos anos, o pagamento manteve-se estável, sem quaisquer supressões.

Informamos ainda, que foi aberto, nas últimas semanas, um processo licitatório para gerir a unidade, com conclusão prevista para maio deste ano. Na negociação com a Santa Casa de Misericórdia da Bahia, a mesma continuará gerindo a maternidade até que licitação seja concluída.

No que se refere ao relatório produzido entre maio e outubro de 2015 pela Associação de Ginecologia e Obstetrícia do Estado da Bahia (Sogiba), a Sesab informa que diversos ajustes já foram realizados neste período, a exemplo da contratação de novos profissionais e equipamentos, como uma ambulância para o Hospital Geral Roberto Santos.

Apenas em 2015, somente na rede própria do estado, mais de 40 leitos foram abertos em maternidades e, nas próximas semanas, serão inaugurados vinte novos leitos de UTI Neonatal no Hospital Geral Roberto Santos. Recentemente o HGRS ampliou o número de leitos da ala de Cuidados Intermediários Neonatais Convencionais (UCINCo) a partir de uma série de mudanças estruturais, a exemplo da renovação de alvenaria, piso e teto, além do mobiliário, permitindo a total readequação do espaço físico. Ainda que haja este esforço de ampliação da rede, a demanda supera a oferta de leitos. Estão previstos ainda R$ 20 milhões para a duplicação da capacidade do Hospital João Batista Caribé, e mais R$ 60 milhões na requalificação de 25 maternidades em todo o estado.

Reuniões periódicas são realizadas com entidades de classe, a exemplo da que ocorre mensalmente com o Conselho Regional de Medicina da Bahia (Cremeb), Associação Bahiana de Medicina (ABM) e o Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia (Sindimed). A obstetrícia é um dos assuntos abordados e há o consenso que os municípios da região metropolitana com destaque para a capital Salvador devem ampliar a sua capacidade de atendimento dos partos de risco habitual a fim de que as maternidades estaduais, referência nos casos de alto risco, sejam ocupadas por gestantes com este perfil.

Ascom/Sesab
/resposta/maternidade de referência

Notícias relacionadas