Notícias /

Seminário rumo à Zero Discriminação nos serviços de saúde

03/03/2016 17:33

“A Zero Discriminação – atitude para uma sociedade livre de preconceitos”, é uma iniciativa das Nações Unidas, que celebra o direito de todos a uma vida plena e produtiva com dignidade, independente da sua origem, sua orientação sexual, sua identidade de gênero ou sua etnia e raça, possibilitando o acesso à cidadania plena e, especialmente, a serviços de prevenção e cuidados para HIV/Aids.

No dia 1° de março, Dia Mundial de Zero Discriminação, em comemoração à data, o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (Unaids) conjuntamente com os Programas de DST, HIV/Aids e hepatites virais de Salvador e do estado da Bahia, e o Centro Estadual Especializado em Diagnóstico, Assistência e Pesquisa (Cedap), organizaram o Seminário Rumo à Zero Discriminação nos Serviços de Saúde

O objetivo do seminário foi promover um espaço de diálogo sobre o impacto da discriminação no acesso à saúde, com foco em populações mais vulneráveis, bem como o papel dos serviços de saúde para promoção e defesa dos direitos humanos e alcance da Zero Discriminação.

O evento ocorreu na Sala de Treinamentos do Cedap, durante toda a manhã, com a participação de cerca de 50 profissionais e servidores dos serviços de saúde de Salvador, ativistas, alunos e professores de ensino superior.

Entre os participantes, a diretora do Cedap, Miralba Freire; a coordenadora do Programa Estadual de DST/HIV/Aids, Nilda Nunes; o representante da Unaids/Brasil, Javier Angonoa; a coordenadora do Programa Municipal de DST/HIV/Aids de Salvador, Flávia Guimarães.

Problemas de populações específicas para acesso a serviços de saúde e estratégias para chegar à Zero Discriminação foi o tema de mesa redonda, com a participação de Moysés Toniolo, Conselheiro Nacional de Saúde/Rede de Pessoas Vivendo com HIV da Bahia, que falou sobre o tema “Pessoa Vivendo com HIV Discriminação das pessoas vivendo com HIV, avanços e desafios”; Alfredo Dórea, do (IBCM/Comitê de Dialogo Interreligioso da Bahia), que abordou o tema “A religião como geradora de discriminação nos serviços”; Keila Simpson, da Atração- ANTRA. Que falou sobre “Acesso das populações de trans e LGBT a serviços de saúde. Aplicabilidade da Lei do Nome Social”; Miralba Freydre, diretora do Cedap, que falou sobre “Estratégias para diminuição da discriminação no serviço”; Daniela Paixão, do SEMAE Liberdade/SMS, que abordou o tema “Estratégias para diminuição da discriminação no serviço”.

Fonte: Coordenação Estadual de DST/Aids
Cedap/seminário

Notícias relacionadas