Notícias /

Hipertensão e diabetes nos índios refletem mudanças no estilo de vida

04/03/2016 16:18

Os números da hipertensão e Diabetes Mellitus na população indígena na Bahia seguem a prevalência da população em geral. Dos 29 mil índios, vivendo em 31 municípios, estima-se 8% de diabéticos e 10% de hipertensos, segundo a coordenadora do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI), órgão do Ministério da Saúde, Hilda Nascimento. Ela buscou o apoio do Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (CEDEBA), da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (SESAB), para parceria, visando a qualificação do cuidado, para as equipes multiprofissionais de Saúde Indígena (EMSI).

A qualificação dos profissionais pela equipe do Cedeba, em local a ser definido, acontece de 29 a 31 de março, e tem grande importância, na avaliação de Hilda Nascimento, “pois estamos buscando a parceria de um Centro de Referência em diabetes, e que tem uma larga experiência na questão do Cuidado, que ajuda a prevenção do diabetes e a evitar as complicações que decorrem da doença sem controle”.

Mudanças no estilo de vida

E o trabalho dos profissionais de saúde com os índios exige grandes deslocamentos, porque na Bahia eles estão em várias regiões: do Extremo Sul, passando pelo Oeste e chegando ao sertão, na área do Rio São Francisco. Em algumas regiões, a equipe de saúde indígena faz visitas semanais, mas em áreas de mais difícil acesso, a cada 15 dias.

A adesão ao tratamento do diabetes e hipertensão não é problema, porque hoje o nível de informação dos indígenas mudou e a internet chegou às aldeias, como observa Hilda Nascimento. Mas os fatores de risco para a hipertensão e diabetes também marcam presença entre os índios porque seus hábitos de vida mudaram.

Índios na Bahia

Embora a maior visibilidade dos índios na Bahia esteja no município de Porto Seguro, em razão do turismo, no estado vivem índios em Paulo Afonso, Rodelas, Abaré, Curaça, Sobradinho, Glória, Ribeira do Pombal, Banzaê, Euclides da Cunha, Itaberaba, Angical, Santa Rita de Cássia, São Desidério, Cocos, Serra do Ramalho, Ibotirama, Muquém do São Francisco, Itinga (na Chapada Diamantina), Ilhéus, Pau Brasil, Camaça, Cafarnaum, Buerarema, Itaju da Colônia, Porto Seguro, Santa Cruz, Belmonte, Itamaraju e Prado.

A.M.V. Mtb 694/Ba
Cedeba/índios

Notícias relacionadas