Notícias /

Itabuna terá aplicação de inseticida residual para combate ao Aedes aegypti

05/03/2016 17:53

Itabuna será a primeira cidade baiana a receber borrifadores de inseticida residual de aplicação intra-domiciliar para combater o mosquito Aedes aegypti. O anuncio foi feito na  manhã deste sábado (5), pelo secretário de Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, durante visita ao município. Na próxima semana, serão disponibilizados 92 borrifadores para a Secretaria Municipal de Saúde. O inseticida residual combate o aedes num período de 12 meses e será aplicado em domicílios nas áreas com maior incidência de focos.

O secretário também destacou os serviços de limpeza da calha e das bordas e a retirada de baronesas do Rio Cachoeira, que corta a cidade, reduzindo os focos do mosquito. Acompanhado do assessor especial Mateus Simões, do superintendente de Regulação,  José Rodrigues e da gerente do Núcleo Regional de Saúde/Sul,  Marisa Eduane, Vilas-Boas visitou o QG da Dengue, onde são atendidos pacientes com suspeita de dengue, zika vírus e chikungunya e o Hospital de Base de Itabuna, onde funciona uma unidade de atendimento a pacientes que necessitam de internação.

O QG da Dengue, implantado pela Prefeitura de Itabuna, em parceria com a Sesab, conta com 120 profissionais trabalhando em esquema de plantão todos os sete dias da semana. São nove médicos, sendo cinco durante o dia e quatro no regime de plantão noturno.

ILHÉUS

Em Ilhéus, o secretário visitou o Pronto Atendimento da Dengue. A unidade funciona no Centro Municipal de Atendimento Especializado (CEMAE) e conta com cinco médicos, cinco enfermeiras, seis técnicos de enfermagem/coletores e um técnico de enfermagem capacitado para coleta de isolamento viral. Os prefeitos de Itabuna, Claudevane Leite, e de Ilhéus, Jabes Ribeiro, destacaram o apoio do Governo do Estado, que além de equipamentos e medicamentos também tem enviado técnicos aos dois municípios para auxiliar no combate ao aedes.

Villas Boas destaca que as ações em Ilhéus e Itabuna buscam combater os focos do Aedes aegypti. evitando a proliferação das larvas, além de campanhas de conscientização. “A participação da população no combate aos focos em casa e no ambiente de trabalho é fundamental nessa guerra contra o mosquito, que é o inimigo número 1 do planeta ”, ressaltou.

Em Itabuna, foram notificados de 1º de janeiro até 3 de março 11.487 casos de dengue,  6.068 casos de zika e 1.616 casos de chikungunya. Em Ilhéus, no mesmo período, foram notificados 1.537 casos de dengue, 703 casos de zika e 1.437 casos de chikungunya. O secretário aproveitou ainda para visitar as obras do Hospital do Cacau, em Ilhéus.

Notícias relacionadas