Notícias /

Integração dos estagiários da área de saúde marca a III Mostra do Cedeba

10/03/2016 14:21

As apresentações da III Mostra de Estagiários do Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba), hoje, ratificaram o aprendizado que valoriza a integração da equipe multidisciplinar. A avaliação dos estagiários da experiência do “Permanecer SUS”, que visa à humanização e a melhoria do atendimento, com ênfase na escuta e acolhimento dos usuários, a fim de fortalecer a Política Nacional de Humanização – foi um exemplo: a estudante de Fisioterapia, da Faculdade Estácio de Sá, Janete Silva, fez apresentação conjunta com a estudante de Medicina da FTC, Taiane Miranda.

As estudantes consideram que o estágio no “Permanecer SUS” foi muito enriquecedor. Elas mostraram a importância de trabalhar no acolhimento dos pacientes. Taiane Miranda enfocou que acolher aqueles que mais necessitam é o grande trabalho, citando a memória da saudosa Irmã Dulce como exemplo. A acolhida, segundo observou a estagiária exige escutada qualificada, que deve ser marcada pela paciência. A estudante Janete considerou a experiência muito importante, por permitir conhecer a assistência do Cedeba e interagir com a equipe multidisciplinar.

Propostas

Além de avaliarem a experiência do estágio, os estudantes dos cursos da área de Saúde, Nutrição, Enfermagem, Serviço Social, Farmácia e Fisioterapia, e mais estagiários do Programa Permanecer SUS – apresentam soluções e caminhos que passam a ser incorporados pela assistência, disse a coordenadora de Ensino e Pesquisa do Cedeba, a endocrinologista Jeane Sales Macedo.

Na III Mostra, a estudante de Serviço Social da UFBa, Naldira Silva Cedraz, apresentou proposta para ação na atividade Sala de Espera, para envolver o paciente, levando-o a refletir sobre o diabetes e suas implicações, tornado-o protagonista no controle da doença.

Quem também considerou o estágio muito enriquecedor foi a estudante de Serviço Social da UFBA, Aricelma Brito Santos. Ela conheceu no Cedeba o Projeto de Educação, “Doce Conviver”, da Coordenação de Educação e Apoio à Rede (Codar), do Cedeba. Ela fez apresentação sobre o funcionamento do Projeto, dizendo ser muito gratificante verificar as mudanças de comportamento dos pacientes, ao concluírem a quinta sessão. “Eles chegam muito desesperançados, revoltados, mas o contato com outros pacientes, a troca de experiência e os conhecimentos que adquirem sobre diabetes produzem importantes mudanças comportamentais que se estendem à família.” Ainda segundo Aricelma, “pude ver na prática a importância da educação em saúde”.

Para a coordenadora do Serviço de Ensino Multprofissional – Semult – do Cedeba, Amália Caldas Porto, “o Cedeba é um campo de estágio muito rico, que possibilita grande crescimento pessoal e profissional. A integração da equipe multidisciplinar é também muito importante para o estagiário. “Por ser o Cedeba um centro de referência que atende pacientes da capital e do interior, possibilita uma visão bem ampliada da realidade”, pontua.

A.M.V. Mtb 694/Ba
Cedeba/estagiários

Notícias relacionadas