Notícias /

Alimentação saudável é fundamental para o controle da obesidade

19/05/2016 18:41

O prato saudável deve conter 55% de vegetais, 20% de carboidratos e 25% de proteínas, mas há um grupo considerável de pessoas que torce o nariz para as saladas. Variar a preparação, tornando-as mais coloridas e saborosas é que o recomenda a nutricionista do Núcleo de Obesidade do Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba), Lorenna Fracalossi. Na palestra que fez na manhã de hoje, no auditório do Centro de Atenção à Saúde (CAS), para pacientes com obesidade acompanhados no Cedeba, ela deu algumas sugestões de combinações de vegetais para fugir da salada que se torna rotina: alface, tomate e cebola. Acelga com manga/ agrião, alface e tangerina/alface, tomate, cebolinha e passas/alface, repolho e manga/alface, agrião, cenoura ralada e granola.

A nutricionista mostrou a importância de cada grupo de alimento. No grupo das frutas e hortaliças é interessante variar o consumo levando em conta as cores. Os alimentos roxos, por exemplo, (uva, beterraba, berinjela) são ricos em flavanóides, muito importantes para o redução do colesterol ruim. O ideal, segundo a nutricionista, é consumir as frutas da estação, porque além de custarem menos são mais saborosas e saudáveis. O prato saudável deve reunir alimentos de cinco cores diferentes.

Cuidados

A nutricionista disse que os pacientes com obesidade devem ter muito cuidado com os alimentos do grupo dos açúcares, principalmente os carboidratos simples. Como sobremesa, em lugar dos doces, é preferível consumir frutas. Os chocolates devem conter 70% de cacau e ser consumidos em pequenas quantidades: um quadradinho três vezes por semana. Quem gosta de adicionar chocolate no café, deve optar pelo cacau em pó.

É preciso também consumir alimentos do grupo das gorduras com moderação. Entre manteiga e margarina, a manteiga é menos prejudicial, mas deve ser consumida com parcimônia. Com o pão, o melhor é usar azeite extra-virgem com um pouco de orégano. Outra opção é ricota amassada com alho. O consumo excessivo de gordura contribui para a obesidade, doenças cardiovasculares, hipertensão, aumento do colesterol e diabetes. Lorenna Fracolossi orientou os pacientes: “faça de sua cozinha, sua grande aliada. Cozinhar o próprio alimento é mais saudável e mais barato. É um movimento que cresce hoje em todo o mundo na busca da alimentação saudável”

Plano Alimentar

Os pacientes contaram também, na manha de hoje, com as orientações da nutricionista do Cedeba, Luciane Barros, sobre Plano Alimentar, que é diferente de dieta. Ela perguntou aos pacientes quais as principais dificuldades para seguir o Plano. As principais respostas: a quantidade, o número de refeições. Depois ela perguntou: O que faz um corpo ser obeso ou magro? Uma paciente respondeu: comer demasiadamente, sem controle. Ela explicou que o equilíbrio entre o que o organismo consome e o que gasta de energia é essencial. Além do equilíbrio na alimentação, é importante a prática de exercícios para aumentar o gasto de energia.

A nutricionista explicou que Plano Alimentar visa à reeducação alimentar. O plano – explicou – leva em conta sexo, idade, estado nutricional e necessidades individuais. É muito importante, segundo a nutricionista, a realização de refeições com regularidade: café da manhã, lanche, almoço, lanche da tarde, jantar e lanche da noite. Pular refeições engorda. Por isso é essencial fazer todas as refeições.

A.M.V. Mtb 694/Ba
Cedeba/saudável

Notícias relacionadas