Notícias /

Higiene mental deve ser um exercício diário para a saúde

23/05/2016 17:07

Por maiores que sejam as atividades diárias, é necessário encontrar alguns poucos minutos para relaxar, como estratégia que leve à redução da carga de estresse. Essa orientação foi passada pela psicóloga do Sistema Integrado de Assistência à Saúde do Trabalhador (SIAST), do Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba), Viviane Oliveira, na palestra que fez na manhã de hoje sobre “Higiene Mental”. No final da palestra, ela ensinou de forma prática a técnica de relaxamento progressivo. De olhos fechados, os participantes aprenderam como relaxar a mente com a colaboração dos músculos e música suave.

A atividade de hoje deu inicio ao ciclo de palestras que o SIAST organizou para celebrar o Dia Mundial da Saúde, transcorrido em abril, mês que a agenda de eventos do Cedeba estava muito concorrida e por isso a organização optou por transferir para este mês. Amanhã (terça), a programação continua com o tema “Alimentação Saudável”, que será abordado pela nutricionista Palmira Romero. O encerramento será quarta-feira, com “Atividade Física”, pela fisioterapeuta Lorena Guedes. Ambas as palestrantes são do Cedeba.

Como fazer higiene mental?

Para iniciar sua palestra, a psicóloga Viviane Oliveira perguntou o significado de higiene mental. As repostas giraram em torno da idéia de limpeza: “descarregar os problemas, limpeza do cérebro, lavagem cerebral”, foram alguns dos pontos identificados por servidores. Mas fazer higiene mental vai depender muito do nível de estresse em que a pessoa se encontra. Pode exigir técnicas mais brandas ou mais intensas.

O termo higiene mental foi usado pela primeira vez em 1919, por um psicótico norte-americano recuperado, Cliffor Beers, fundador do movimento de saúde mental moderno. Ele criou a Comissão Internacional para Higiene Mental em 1931, hoje conhecida como a Federação Mundial para Saúde Mental. Beers partilhou a sua própria experiência com a doença mental em sua autobiografia, “A mente que se encontrava.”.

E a necessidade de higiene mental varia de pessoa para pessoa. A maneira de lidar com as emoções sofre influência da genética – em função do temperamento – e também do aprendizado, das doenças. Mas é preciso conhecer o nível de estresse. Durante a palestra, Viviane Oliveira aplicou o teste Inventário do Stress Marilpa Lipp, permitindo aos participantes conhecerem o nível de estresse que vivem.

A psicóloga também deu orientações sobre atividades que podem ser feitas para aliviar o estresse: andar de bicicleta, caminhar. O importante é buscar atividades que promovam o relaxamento como a Ioga, por exemplo. Relaxar é muito importante e essa importância cresce com a “Síndrome do Pensamento Acelerado” que causa muita tensão, desatenção e ansiedade, destacou a palestrante, que deixou uma mensagem “Ache tempo para se cuidar e falar de você”.

A.M.V. Mtb 694/Ba
Cedeba/higienemental

Notícias relacionadas