Notícias /

Hormônios da tireoide influenciam no funcionamento de órgãos vitais

30/05/2016 18:54

Embora a maioria dos casos de obesidade tenha como origem, principalmente, o sedentarismo e erros alimentares, quando a tireóide não é capaz de suprir a quantidade suficiente de hormônios tiroidianos ((hipotiroidismo) leva ao aumento do peso. A deficiência também traz como principais sintomas: prisão de ventre, edemas, sonolência, queda de cabelo e diminuição da memória, como explica a coordenadora de Planejamento do Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba), a endocrinologista Odelisa Matos, ao ressaltar a importância do bom funcionamento da tireóide para a saúde.

Na Semana Internacional da Tireoide – de 23 a 29 de maio, sendo o dia 25 de maio – sempre uma oportunidade para mobilizar a sociedade com informações sobre as doenças que afetam a importante glândula em forma de borboleta, situada no pescoço, localizada logo abaixo do que popularmente chamamos “gogó”, a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) fez amplo trabalho de divulgação. Os hormônios que a tireoide produz são capazes de influenciar todas as células do organismo. Esses hormônios são fundamentais para o bom funcionamento de órgãos importantes, como coração, cérebro, fígado, rins e pele.

Hipertiroidismo

Enquanto no hipotireoidismo as alterações são mais crônicas, mais lentas, com sintomas comuns a outras doenças, no hipertireoidismo, quando o excesso do hormônio da tireóide leva o organismo a funcionar mais acelerado e de forma exagerada, o quadro é mais agudo, mais exuberante, pontua a endocrinologista Odelisa Matos: perda de peso, taquicardia (palpitacão), insônia e, em alguns casos, aumento do globo ocular (protusão dos olhos).

O bom funcionamento da tireoide é essencial para o desenvolvimento do feto. A falta deste hormônio na gestante pode trazer problemas para a criança. Por isso, é muito importante também a avaliação da glândula durante a gestação. É preciso também atenção ao hipotireoidismo congênito, orienta a edoncrinologista, que é diagnosticado com o teste do pezinho. Se não for diagnosticado e tratado precocemente, provoca lesões irreversíveis, com retardo mental e atraso no desenvolvimento.

Atendimento no Cedeba

No Cedeba, segundo Odelisa Matos, separando o atendimento em diabetes, os distúrbios da tireóide representam 50% da demanda. A presença de nódulos na tireoide e as doenças auto-imune da glândula (tireoidite), além de hipo e hipertirodismo são doenças tratadas no Cedeba. Os nódulos da tireoide têm maior incidência no envelhecimento. Podem ser únicos ou múltiplos, como também podem ter tamanhos variados. Estão presentes em 5 a 10% da população adulta, mas 90% são benignos. Mesmo os nódulos malignos têm bom prognóstico.

A.M.V. Mtb 694/Ba
Cedeba/tireoide

Notícias relacionadas