Notícias /

Práticas Integrativas e Complementares no SUS foi o assunto discutido em sessão temática realizada pela EESP

18/08/2016 14:14

Com grande público e tema bastante atrativo, a Escola Estadual de Saúde Pública Professor Francisco Peixoto Magalhães Netto (EESP), com o apoio da Diretoria da Gestão do Cuidado (DGC), realizou na última terça-feira (16), no auditório do Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), a sessão temática com o tema “Práticas Integrativas e Complementares: uma nova perspectiva sobre o cuidado à saúde no âmbito do SUS”.

O evento recebeu a participação de Maria das Graças Queiroz Machado, psicóloga, Mestre em Educação pela UFBA e Técnica em Práticas Integrativas e Complementares (PIC) da DGC, que falou sobre o internalismo e seus serviços mais utilizado na Europa, onde foi trazida pelos Portugueses. Na palestra, foram discutidas as práticas de recursos terapêuticos baseados em técnicas utilizando o elemento água para a solução de problemas específicos, onde também foi citada a Portaria 4.004, que aprova o Formulário Terapêutico Nacional- FTN 2010, da relação Nacional de medicamentos essenciais- Rename 2010, onde fala da elevada incidência de iatrogenias relacionadas à utilização de medicamentos e a possibilidade de que parte destas possa ser prevenida ou amenizada a partir da difusão de informações e assistência de qualidade, citando os municípios que mais tem ofertas de PIC.

A convidada Maria Luísa de Castro Almeida, enfermeira, Especialista em Gestão dos Sistemas de Saúde pela UFBA e Técnica em Práticas Integrativas e Complementares (PIC) na DGC, falou sobre o contexto histórico da Política Nacional de Práticas Integrativas e saúde; a Portaria nº1680; o PIC nos municípios (SAI/SUS) e como o PIC contribui para o fortalecimento dos princípios fundamentais do SUS. A palestrante também citou a Escola de Formação Técnica e Saúde (EFTS), que, através de cadastros, conseguiu localizar os profissionais que fazem práticas integrativas, assim deixando claro o conteúdo abordado e expansivo e a importância de mais um passo no processo de implantação do SUS.

Durante a sessão, Eliane Azevedo, assistente Social do HGRS, e Conceição Américo, falaram sobre a vivência das práticas integrativas e complementares para no HGRS, a vivência da meditação/Hicks, que reafirma e trabalha nos princípios básicos da integralidade da assistência.

Por fim, todas as pessoas presentes tiveram uma vivencia de 20 minutos com o Mestre Paulo Henrique Cardoso, especialista em artes maciais, meditação e práticas chinesas terapêuticas.

Fonte: EESP
EESP/práticas integrativas

Notícias relacionadas