Notícias /

Ministério da Saúde, Sesab e Opas realizam oficina da 2a fase do Projeto “Zero Morte Materna por Hemorragia Pós-Parto”

24/08/2016 18:53

O Ministério da Saúde, em parceria com a Organização Pan Americana de Saúde (Opas) e a Secretaria Estadual de Saúde, por meio da Diretoria de Gestão do Cuidado, está realizando hoje, dia 24 de agosto, das 8h30 às 17h30, a Oficina da 2ª fase do Projeto “Zero Morte Materna por Hemorragia Pós-Parto”, no Auditório do Hospital Geral Roberto Santos. O evento tem como foco a qualificação da atenção às mulheres com hemorragia pós-parto, do manejo obstétrico da hemorragia pós-parto e introdução, capacitação e acompanhamento do uso do traje antichoque não pneumático (TAN) em áreas remotas.

O público-alvo da Oficina conta com a participação de representantes de diversas instituições e serviços, tais como: Comitê Estadual de Estudo Da Mortalidade Materna, Secretaria Municipal de Saúde de Salvador, Conselho Regional de Enfermagem (COREN), Fórum da Rede Cegonha da Região Metropolitana, Hospital Municipal Esaú Matos, e demais diretorias da SESAB, a saber: Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVEP), Diretoria de Atenção Especializada (DAE), Diretoria de Atenção Básica (DAB), Hospital Geral Clériston Andrade, Maternidade de Referência, Hospital Roberto Santos, entre outras.

A oficina objetiva estruturar o processo de qualificação da atenção às situações de morbimortalidade em mulheres com hemorragia pós-parto, principalmente em áreas remotas e de pouco acesso às tecnologias de cuidado. Entre os produtos da Oficina está a elaboração de um Plano de Ação Regional, a partir da apresentação do panorama das Mortes Maternas por hemorragia, tendo como base: a construção do cuidado em rede, as estratégias de formação dos profissionais nas regiões, a inserção do kit anti-hemorrágico nos serviços, o processo de monitoramento da distribuição e do uso do traje antichoque não pneumático (TAN).

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, além das complicações devido a abortos, as principais causas da mortalidade materna são hemorragia, hipertensão e infecções. Assim, a redução da mortalidade materna é uma prioridade do Ministério da Saúde e do Governo Estadual, uma vez que, apesar dos avanços alcançados nos últimos anos, ainda necessitamos atingir a meta dos Objetivos do Milênio (ODM) com vistas a reduzir em 75% a taxa de mortalidade materna.

Fonte: Coordenação de Ciclo de Vida e Gênero/DGC
/saúde da mulher/projeto zero

Notícias relacionadas