Notícias /

Intoxicações foi o tema discutido na Sessão Temática da EESP

02/09/2016 21:11

A Escola Estadual de Saúde Pública Professor Francisco Peixoto Magalhães Netto (EESP) realizou na última quinta-feira (01), no auditório da Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (HEMOBA), a sexta sessão temática de 2016, sobre: “Dialogando sobre intoxicações: da prevenção à assistência”.

Com 36 anos de atividades, o Centro de Informações Antiveneno da Bahia (Ciave) está localizado no complexo do Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), em Salvador, e tem como principais atividades prestar informações e assistência toxicológica especializada, com plantões ininterruptos. O Centro Antiveneno está comemorando este mês o Setembro Amarelo, que é uma campanha de conscientização e prevenção ao suicídio e de valorização da vida.

A sessão iniciou com a participação de Jucelino Nery da Conceição Filho, coordenador técnico do CIAVE, farmacêutico coordenador do Programa Nacional de Controle de Acidentes por Animais Peçonhentos na Bahia, que falou sobre a toxicovigilância que são ações que devem ser desenvolvidas com a responsabilidade e o controle, prevenção, diagnósticos e tratamentos das intoxicações exógenas e da epidemiologia das intoxicações por conta da utilização de produtos químicos que, às vezes são indispensáveis para o desenvolvimento de algumas atividades do homem, prevenção de algumas doenças e produtividade agrícola que, por conta da utilização constante e inadequado tem causado efeitos adversos à saúde humana e integridade do meio ambiente, assim ocasionando acidentes individuais, coletivos e de grandes proporções.

Jucelino Nery também mostrou à lista de medicamentos que têm mais envolvimento nas intoxicações, mostrando dados da Sinitox e do Sinan de casos de todos os agentes tóxicos, os registros dos casos com circunstâncias mais frequentes e grupos que possuem alto risco e maior frequência por faixa etária, explicando as medidas preventivas. Por fim, o mesmo falou dos conceitos básicos de animais peçonhentos e não peçonhentos, como identificar as serpentes peçonhentas, como prevenir e o que fazer em caso de primeiros socorros.

Daniel Santos Rebouças, diretor do Ciave, médico cardiologista e toxicologista falou sobre os centros de informações e assistência toxicológica e seus desafios, juntamente com a sua atuação e veiculação, as formas de atendimento prestado (presencial x à distância), nível de atuação, o público-alvo do centro que atende todas as faixas etárias e quais os tipos de circunstâncias das vitimas (tentativa de homicídio, aborto etc.), Rebouças também falou da quantidade e da variedade de agentes que é o maior desafio e as formas de intoxicações.

Fonte: EESP
Sessão Temática

Notícias relacionadas