Notícias /

Ambulatório de práticas alternativas e complementares do Cedeba completa um ano

05/10/2016 17:21

Exercícios simples de ioga prepararam os servidores do Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba) ontem, no intervalo do almoço, para a sessão de meditação guiada, sob a orientação de facilitadoras da organização Arte de viver. Foi o início da celebração do primeiro ano de funcionamento do ambulatório de Práticas Alternativas e Complementares, que oferece Reflexologia Podal, Massoterapia e Reiki para os pacientes, nas tardes de sexta-feira. Um ambulatório cujo sucesso pode ser avaliado pela elevada freqüência e pela satisfação dos usuários.

Os servidores aprenderam a importância da respiração que as facilitadoras definiram como a chave para o controle das nossas emoções. E eles tiveram oportunidade de ter a prática desse conhecimento. A respiração traduz as emoções, tornando-se rápida nos momentos de estresse e suave em situações de calma e paz. Logo, respiração é fonte de energia. Depois dos exercícios de respiração, começou a aula de meditação, prática que resulta em maior concentração.

Tai chi chuan para pacientes

Nesta quinta (6), às 12h30, as comemorações prosseguem no Cedeba com a palestra da enfermeira Maria Luísa de Castro Almeida, da área técnica da Sesab de Práticas Técnicas e Integrativas Complementares/Diretoria da Gestão do Cuidado. Ela abordará “O Panorama das Práticas Integrativas e Complementares no SUS – Bahia e no Cedeba”.Também será facilitadora a psicóloga do Cedeba e reikiniana Pilar Dacal.

A coordenadora Técnica do Cedeba, endocrinologista Flavia Resedá, que ao lado de Pilar Dacal, apostou no ambulatório de Práticas Integrativas e Complementares está muito satisfeita com a aceitação dos pacientes – ninguém falta – e a crescente procura. O trabalho do Cedeba se insere na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) do SUS, que ano passado completou uma década de experiência.

A programação comemorativa será encerrada sexta-feira à tarde com práticas de Tai Chi Chuan e meditação para pacientes do Cedeba, a partir das 13 horas. Serão facilitadores o massoterapeuta na tradição ayurvedica, mestre em Reiki e instrutor de Tai Chi Chuan, Karun Naidu e Mária do Rosário Von Flach, médica com especialização em Cardiologia, Psicoterapia Somética e Familar Sistêmica.

Ampliação

Segundo Pilar Dacal, a aceitação e os resultados do ambulatório mostram a tendência de ampliação do atendimento e inclusão de novas práticas. A psicóloga e a endocrinologista Flávia Resedá já fizeram o curso de Cromoterapia, outra prática integrativa e complementar de muita aceitação. O ambulatório do Cedeba, que nasceu de cooperação técnica com a Universidade Federal da Bahia, chega ao seu primeiro ano recebendo os parabéns dos pacientes.

A.M.V. Mtb 694/Ba
Cedeba/integrativas

Notícias relacionadas