Notícias /

Hospital Manoel Victorino e Vigilância Epidemiológica iniciam ações integrando a Campanha Outubro Rosa

06/10/2016 12:53

O Hospital Manoel Victorino (HMV), unidade da rede estadual de saúde, promove uma série de ações para proporcionar atendimento de qualidade com foco na humanização. Em outubro, essas ações estão sendo ampliadas em virtude do Movimento Outubro Rosa, que teve início nos Estados Unidos, na década de 1990, com o objetivo de estimular a descoberta precoce do câncer de mama. A data é celebrada anualmente.

Para integrar a Campanha Mundial Outubro Rosa, a direção do HMV, através da Comissão de Humanização, mobilizou todos no hospital sobre a importância da prevenção. Entre as ações destacam-se uma série de palestras no auditório do hospital, abordando a importância da concientizacão sobre fatores de risco e medidas de detecção precoce do câncer de mama, orientação sobre a realização de exames. A campanha tem como público alvo os colaboradores da instituição, visitantes, pacientes internados, entre outros.

Sheila Ferraz, diretora do hospital, pontua que a prevenção contra todas as doenças é fundamental. “Temos uma atenção especial com a prevenção de doenças e, neste mês, o Hospital Manoel Victorino adere à Campanha Outubro Rosa, alertando sobre o câncer de mama. Nossa programação está voltada para a necessidade de informar sobre a doença, fazer exames com regularidade, relatando casos de sucesso com a detecção precoce, o que aumenta a chance de cura. Além disso, orientações e cuidados com a saúde que são importantes para evitar os fatores de risco para o câncer de mama”, disse.

Vigilância Epidemiológica

No mês de outubro, se comemora o Outubro Rosa, de prevenção do câncer de mama, simbolizado pelo laço cor de rosa. A iniciativa, iniciada nos Estados Unidos, foi ganhando o mundo como uma forma de sensibilização acerca da importância do diagnóstico precoce, bem como um alerta para a grande quantidade de mortes relacionadas com a doença.

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep), por meio da coordenação de Doenças e Agravos não Transmissíveis (Codant), mobilizou sua equipe na luta contra o câncer de mama. A estimativa para o Brasil no biênio 2016-2017 é de cerca de 600 mil casos novos de câncer. Excetuando-se o câncer de pele não melanoma (aproximadamente 180 mil casos novos), ocorrerão cerca de 420 mil casos novos de câncer.

Nas mulheres, os cânceres de mama (28,1%), intestino (8,6%), colo do útero (7,9%), pulmão (5,3%) e estômago (3,7%) figurarão entre os principais. O serviço de Registro Hospitalar de Câncer (RHC) tem um importante papel neste contexto, já que coleta, armazena, processa e analisa dados referentes ao diagnóstico, tratamento e evolução dos casos de neoplasia maligna atendidos no hospital.

As informações produzidas no serviço registro hospitalar tem como propósito atender às necessidades da gestão do hospital e do programa de controle do câncer nele desenvolvido, subsidiando ações para melhoramento contínuo da assistência aos pacientes. O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres em todo o mundo, sendo raro em homens.

Na Bahia, no período de 2000 a 2015, 26% das mulheres que tiveram neoplasia apresentaram câncer de mama, dessas, 4% abandonaram o tratamento e 5 % vieram a óbito.

Ascom/Sesab
Outubro rosa/Manoel Victorino

Notícias relacionadas