Notícias /

Crianças e adolescentes com diabetes podem levar vida normal

18/10/2016 17:08

Crianças e adolescentes atendidos no Setor Infanto-Juvenil (SIJU), do Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba), deram asas à imaginação na escolha do tema para a maquiagem hoje pela manhã, dando continuidade à programação comemorativa do mês da criança, que vai até amanhã. As meninas pediram borboletas, flores, abelhas, gatinhas, enquanto os meninos escolheram animais ferozes com o tigre e Super Heróis.

Marco Aurélio Teixeira, de nove anos, estava muito feliz com a maquiagem de Capitão América. Diabético há três anos, leva uma vida normal, sem qualquer complicação, garante a operadora de máquinas, Tatiane Oliveira, mãe do garoto, residente em Candeias. Ela segue sem problema o plano alimentar e já sabe usar o glicosímetro (fura a pontinha do dedo para medir a glicose sem problema) e aplicar insulina.

A mãe de Marco fez várias fotos de Marcos para registrar a celebração do Dia da Criança no Cedeba, cujo atendimento ela gosta muito e pode ser resumido na sua definição: “Não tem lugar melhor do que aqui”. Mas -conta- quando recebi o diagnóstico do diabetes “foi como se abrisse o chão”. Hoje ela diz sentir – se segura porque a equipe do Cedeba “é um suporte muito importante”.

Como o diabetes tipo 1 geralmente é diagnosticado com um quadro muito agudo, a maioria dos pais se desespera. Com Marcos, filho único, não foi diferente. Ele ficou cinco dias internado em estado grave, quando teve o diagnóstico de diabetes.

Vida normal

Segundo a líder do Setor Infanto-Juvenil do Cedeba, endócrino pediatra Lívia Leite, crianças e adolescentes com diabetes podem levar vida normal: brincar, correr, fazer exercícios físicos. O importante -pontua – é o uso correto da medicação – o paciente com DM1 terá que usar insulina durante toda a vida e seguir o plano alimentar individual, definido pela nutricionista, onde são estabelecidas as quantidades de carboidratos de cada refeição.

Depois da orientação da nutricionista, na Brinquedoteca, sob a orientação da pedagoga Ceiça Cristo, os pacientes aprendem de forma lúdica a montar refeições variadas, sempre respeitando a quantidade de carboidratos, além de receberem orientações sobre práticas saudáveis de alimentação, que estimulam a preferência por alimentos menos processados. Orientações que valem para os pequenos diabéticos e para

.

A.M.V. Mtb 694/Ba
Cedeba/CRIANÇA

Notícias relacionadas