Notícias /

Curso de aperfeiçoamento da EFTS estimula mudança na prática profissional

03/11/2016 20:21

A iniciativa da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), através da Escola de Formação Técnica em Saúde (EFTS), atende a uma demanda do Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP), que propõe um conjunto de medidas para prevenir e reduzir a ocorrência de incidentes nos serviços de saúde, que impliquem em danos para o paciente. Os resultados esperados incluem a implementação de práticas seguras nos hospitais, a notificação de incidentes, a elaboração de protocolos e a promoção de processos de capacitação.

Com esse intuito, desde agosto de 2016 acontece em todas as quintas-feiras, na sede da EFTS, o Curso de Aperfeiçoamento em Qualidade e Segurança no Cuidado com o Paciente, destinado aos estabelecimentos de saúde da Rede Própria. Segundo uma das docentes, a enfermeira Lilian Paula, a meta é contribuir para a melhoria da qualidade e da segurança na assistência prestada aos usuários do SUS. “Tendo em vista um olhar humanizado sobre o cuidado, a partir dos Protocolos Básicos de Segurança”.

Treze estabelecimentos de saúde indicaram profissionais de enfermagem de nível médio (auxiliares e técnicos) para compor a turma piloto. Entre as indicações, a oportunidade chegou até Ana Lúcia Bispo, técnica em enfermagem, do Hospital Geral Menandro de Farias, que prontamente aceitou o convite e já visualiza os ganhos com a atualização. “O curso nos abre à discussão, à troca de conhecimentos e tem sido muito gratificante. A nossa certeza hoje é que sairemos daqui como agentes transformadores, pessoas capazes de fazer algo para mudar a realidade das nossas unidades”, afirma.

Mudanças significativas

Outros discentes também pontuam mudanças significativas na sua atuação profissional. Para a técnica em enfermagem Letícia Ferreira, que atua no Hospital do Exército, as primeiras alterações no serviço já estão sendo notadas. “Uma das principais mudanças no serviço foi o resgate do Núcleo de Segurança do Paciente, após um questionamento feito para responder a uma atividade do curso. A responsável pela unidade percebeu a importância desse resgate e pediu agilidade para a implantação do núcleo”, orgulha-se.

Já as técnicas Márcia de Sousa e Carliene de Jesus que trabalham, respectivamente, no Hospital Geral Ernesto Simões Filho e na Maternidade Tsylla Balbino, pontuam transformações em suas posturas pessoais. “Mudamos o modo como higienizamos as mãos e a assiduidade com a qual fazíamos esse procedimento”, afirma Márcia. “E agora somos multiplicadoras desses conhecimentos”, completa Carliene.

De acordo com a docente e enfermeira Mácia Libório é notório o comprometimento e a atenção dos discentes para modificar práticas corriqueiras e indevidas “É nítida a percepção deles sobre a importância dos conteúdos trabalhados. Não é só lavar as mãos ou colocar uma pulseira branca em um paciente. Estamos falando em humanização do cuidado, na correta instrumentalização do fazer, para minimizar possíveis eventos adversos, prestando um cuidado correto, que pode evitar repercussões negativas ao processo de tratamento do paciente”.

Das 40 vagas disponibilizadas para o curso, 37 estão ocupadas hoje por profissionais dos Hospitais Roberto Santos, Ernesto Simões Filho, Hospital Geral do Estado, Menandro de Faria, Hospital do Exército, Polícia Militar, Subúrbio, Couto Maia, João Batista Caribé, Manoel Vitorino, além das Maternidades Tsylla Balbino, Iperba e Albert Sabin.

Fonte: EFTS
/efts/aperfeiçoamento

Notícias relacionadas