Notícias /

Impacto positivo do Programa Mais Médicos foi apresentado em seminário

03/11/2016 17:29

Com a implantação do Programa Mais Médicos na Bahia, o pré-natal foi ampliado e a proporção de nascidos vivos de mães que fizeram sete ou mais consultas saltou de 44,05% em 2011 para 59,83% em agosto de 2016. Este é apenas um dos indicadores positivos apresentados nesta quinta-feira (3), no auditório do Senai-Cimatec, em Salvador, durante o balanço de três anos do programa.

A iniciativa da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), em parceria com o Conselho Estadual de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), reuniu parte dos 1464 médicos brasileiros e estrangeiros que atuam nos 386 municípios do estado, além de representantes dos ministérios da Saúde e Educação, e a cônsul geral de Cuba para o Nordeste, Laura Pujol.

De acordo com o secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, o programa beneficia cerca de 5,6 milhões de baianos, com uma média superior a 770 mil novas consultas médicas por mês no âmbito da atenção básica. “Sem dúvida, o provimento de profissionais médicos, a ampliação de vagas na residência medica, bem como a qualificação e investimentos na estrutura física das unidades básicas de saúde contribuíram para um salto de qualidade”, afirma Vilas-Boas.

Para a cônsul geral de Cuba para o Nordeste, Laura Pujol, o programa é um orgulho para os cubanos, que contribuem com a melhoria dos indicadores de saúde em mais 68 países, incluindo o Brasil. “Só na Bahia, são mais de mil profissionais”, destaca Pujol.

A médica cubana, Yadira Giraudy, que atua em São Sebastião do Passé há três anos, compartilha a mesma avaliação da cônsul. “O programa é muito positivo. Tive a oportunidade de atender pacientes obesos e com doenças crônicas ao longo desse período e percebemos uma redução dos agravos dessas doenças”, pontua Giraudy, que ressalta ainda a relevância dos cursos de especialização e capacitação continuada que mantém os profissionais atualizados.

Para o médico Ernesto Tironi, que atua em Ilha de Maré, município da Salvador, apesar de ser um local onde já atuavam médicos da Estratégia de Saúde da Família, a chegada de profissionais do Mais Médicos ajudou a melhorar a saúde da população local. “A incidência de doenças crônicas em Ilha de Maré é grande e estou conseguindo, junto com a equipe, levar atendimento e orientações aos moradores, através da educação em saúde”, analisa Tironi.

O Programa Mais Médicos faz parte de um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde, que visa ampliar o acesso da população aos serviços de atenção básica. Além de médicos brasileiros, profissionais de outras nacionalidades vêm participando, dentre os quais se destacam: cubanos, portugueses, argentinos, suíços, mexicanos e venezuelanos.

Os indicadores com maior sensibilidade às ações da atenção básica são: taxa de mortalidade infantil; proporção de nascidos vivos de mães com sete ou mais consultas de pré-natal, e a proporção de internações por condições sensíveis à atenção primária à saúde.

Ascom/Sesab
Mais Médicos/evento

Notícias relacionadas