Notícias /

Baianos terão atendimento especializado em autismo

11/11/2016 17:05

No final deste mês os baianos contarão com o Centro de Referência Estadual para Pessoas com Transtorno do Espectro Autista (CRETEA). O contrato de gestão da unidade foi assinado nesta sexta-feira (11) pelo secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, e por representantes da Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil, organização social que será responsável por gerir o centro.

O secretário pontuou a importância do serviço, que será inaugurado no dia 28 de novembro, e vai contar com atendimento especializado aos pacientes com este tipo de transtorno, reunindo em um único espaço equipe multiprofissional, além de prestar apoio aos familiares dos pacientes.

Para a presidente de honra da Liga Álvaro Bahia, Rosina Bahia, a abertura do espaço, que vai funcionar no Campo Grande, em Salvador, representa um grande passo nesta área, considerando que, no Sistema Único de Saúde (SUS), “é o primeiro centro a ofertar serviços docente e assistencial”.

Com investimentos em torno de R$ 1,2 milhão para reforma e requalificação do imóvel e R$303 mil para manutenção mensal do serviço, a unidade ainda funcionará como um espaço para capacitação de profissionais para o atendimento às pessoas com Transtorno do Espectro Autista em todo o estado da Bahia.

Liana Figueiredo, coordenadora de políticas transversais da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), acrescentou que o centro vai trabalhar com ações, na rede, voltadas para as pessoas com deficiências e também para a atenção psicossocial.

A diretora do CRETEA, pediatra Adriana Cardoso, ressaltou que no primeiro mês será realizado acolhimento dos pacientes, cadastramento e, na seqüência começarão os atendimentos, com previsão para contemplar 200 pessoas por mês e cerca de 4.000 procedimentos, “uma vez que cada paciente realiza vários tipos de atividades”.

O autismo

A ONU estima que exista, em todo o mundo, cerca de 70 milhões de autistas. Na Bahia, a estimativa é que esse número chegue a 70 mil. Hoje se considera que até três quartos das pessoas com TEA também têm associado algum grau de deficiência intelectual, principalmente pela falta de estímulo. Quanto à prevalência, estudos relatam cerca de um caso em cada 45 crianças nascidas vivas, podendo ser quatro vezes mais comum em meninos do que meninas.

O Autismo é um transtorno do desenvolvimento, que se manifesta tipicamente antes dos três anos de idade, afetando o desenvolvimento psiconeurológico, comunicação, condutas comportamentais e convívio social. O comprometimento pode ser muito grave e estar associado à deficiência mental, ou tão leve que o portador do transtorno consegue levar uma vida próxima do normal

Ascom Sesab

Notícias relacionadas