Notícias /

Reunião marca início de cooperação internacional entre ONU e Bahiafarma

17/11/2016 20:03

Encontro na sede do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), em Genebra (Suíça), coloca laboratório baiano como parceiro estratégico na luta contra o avanço global da Zika

Uma reunião entre representantes do governo da Bahia, da Bahiafarma e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), na tarde de hoje (quinta-feira), marcou o início da cooperação internacional entre a Organização das Nações Unidas (ONU) e o laboratório público baiano na luta contra o avanço global da epidemia de Zika.

O encontro, realizado na sede do Pnud, em Genebra (Suíça), foi agendado pelos diretores da organização, interessados em conhecer melhor os testes rápidos de diagnóstico de infecção por Zika vírus desenvolvidos pela Bahiafarma e a possibilidade de aplicação do dispositivo em áreas onde já há surtos da doença ou há muito risco de que eles ocorram.

“Devemos assinar em breve, no Brasil, um memorando de entendimentos para formalizar o acordo e dar início aos trabalhos de cooperação”, afirma o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas. “Existe o interesse imediato de aquisição dos testes para uso em áreas onde os surtos de Zika já são realidade, sobretudo em países carentes, como Cabo Verde e Guiné-Bissau.”

Também presente na reunião, o diretor-presidente da Bahiafarma, Ronaldo Dias, destaca que a disponibilidade de testes rápidos para diagnóstico de infecção por Zika vírus seria um novo suporte do Pnud para países que já são beneficiados com ações semelhantes no trato com outras enfermidades. “São países para os quais o Pnud já usa fundos internacionais para aquisição de testes de diagnóstico de malária, por exemplo, que teriam o auxílio ampliado para a Zika”, explica.

O secretário e o executivo seguem de Genebra para Copenhague (Dinamarca), onde se reúnem, nesta sexta-feira, com diretores do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

Este mês é voltado para a campanha “Novembro Azul”, que tem como objetivo sensibilizar a população masculina a se cuidar e dar atenção especial à questão do câncer de próstata, segunda doença mais comum entre os homens. Até agosto deste ano, 1559 pacientes foram internados em decorrência da doença e 792 foram a óbito.

Este também é um tipo de câncer que não há como prevenir, mas tem como diagnosticar precocemente para se ter mais chances de cura. Por isso, o “Novembro Azul”, campanha que surgiu na Austrália, em 2003, tem como objetivo sensibilizar a população masculina a procurar um médico a partir dos 45, como orienta a Sociedade Brasileira de Urologia. No entanto, para quem tem histórico familiar da doença, deverá começar a realizar os exames a partir dos 40 anos.

Embora o toque, um dos exames indicados para a detecção do câncer de próstata ainda seja “cercado” pelo preconceito, é necessário, pois de acordo com estatísticas, junto com o exame de sangue PSA, dará um diagnóstico mais preciso, podendo o índice de falha ser reduzido para 8%.

O servidor público, Marivaldo Nunes Teixeira, 70 anos, reconhece a necessidade de se cuidar e faz seu check up anual sem nenhum problema. “Devemos encarar como um exame que será nosso aliado, que vai nos ajudar a ter uma melhor saúde”. Com esta idade ele ainda nem pensa em se aposentar e ressalta que está muito bem. “Tenho uma saúde ótima, não me queixo de nada e sempre me cuidei”. Ele ainda acrescenta que “os homens devem deixar de preconceito e encarar o exame de próstata como um outro exame qualquer, realizado por médicos capacitados para isso”.

Novembro Azul: No dia 19 comemora-se o Dia Internacional do Homem. origem foi na Austrália, em 2003, com o objetivo de concentrar ações sobre a saúde do homem e seu bem-estar: social, emocional, físico e espiritual.

O Ministério da Saúde recomenda que as ações aconteçam permanentemente e tragam em suas abordagens não só temas relacionados ao câncer de próstata, mas outras temáticas como: acesso e acolhimento, prevenção de violências e acidentes, saúde sexual e reprodutiva, paternidade e cuidado, saúde mental, principais doenças que atingem a população masculina assim como estímulo a hábitos saudáveis de vida, entre outras, trabalhando a saúde do homem de forma integral.

Dados de câncer de próstata: Em valores absolutos, é o sexto tipo mais comum no mundo e o mais prevalente em homens, representando cerca de 10% do total de cânceres. Segundo o Registro Hospitalar de Câncer da Bahia, 39% dos pacientes do sexo masculino atendidos em primeira consulta no período de 2000 a 2015 tiveram câncer de próstata; 21% desses pacientes encontram-se na faixa etária de 65 a 69 anos, 20% na faixa etária de 70 a 74 e 17% entre 60 e 64 anos.

Em relação ao primeiro tratamento recebido, 36% dos pacientes com câncer de próstata realizaram como primeiro tratamento cirurgia, 24% não tiveram tratamento e 10% realizaram radioterapia.

Ascom/Sesab

Notícias relacionadas