Notícias /

Programa Mais Médicos recebeu 112 profissionais

15/12/2016 17:20

“Vocês têm um desafio maior do que os primeiros médicos que chegaram aqui, pois a atuação dos seus antecessores superou as expectativas nos três anos que ficaram no programa”, pontuou o secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, ao recepcionar os 112 cubanos que chegaram nesta quinta-feira (15), em Salvador. Eles vieram para substituir os profissionais do Mais Médicos que cumpriram o prazo de permanência no país e fazem parte de um grupo de 197 profissionais que chegam até sábado (17).

Ele ainda acrescentou que a contribuição dos médicos intercambistas pode ser percebida na melhoria dos números de cobertura da atenção básica, que passou de 60% para 72%, e também da qualidade dos serviços da saúde pública do Estado. “Além disso, houve grande aceitação por parte das comunidades onde eles atuaram”, destacou o titular da pasta da Saúde, que aproveitou a oportunidade para dizer aos médicos que o desafio do novo grupo “é passar do estágio de uma maior oferta de serviços, para a oferta de um serviço mais resolutivo e eficaz”.

Segundo Fábio Vilas-Boas, os profissionais terão que atuar no sentido de reduzir o alto índice de internação por doenças que podem ser cuidadas na atenção básica a exemplo de diabetes e hipertensão, que são crônicas, mas quando acompanhadas adequadamente permite qualidade de vida ao paciente e evita o agravo da doença.

É com essa perspectiva que pretende trabalhar o casal de médicos cubano, José Duran Rodrigues e Surisaday Almeida Perez, que vai para o município de Lapão, a 500km da capital, localizado na Chapada Diamantina. Casados há quatro anos, decidiram fazer parte do programa e chegaram ao Brasil trazendo na bagagem o sonho de “conhecer uma nova cultura, novas pessoas e lugares, mas, sobretudo, cuidar das pessoas mais carentes, como já fazíamos em nosso país, atuando em projetos sociais nas comunidades rurais”, ressaltou o casal.

O coordenador do projeto na Bahia, Ângelo Castro Lima, explicou que os médicos passam por capacitação no seu próprio país. “O governo brasileiro encaminha para Cuba professores de Língua Portuguesa, bem como professores para ensinar nuances do SUS e quadros epidemiológicos de doenças que são mais frequentes aqui no nosso país”. Ele ainda acrescentou que, ao chegar aqui, os médicos são acolhidos e têm acompanhamento de profissionais habilitados para orientá-los “em qualquer de suas necessidades”.

O Programa Mais Médicos foi lançado pelo Governo Federal em julho de 2013, com o apoio da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab). Na ocasião, a cobertura da Atenção Básica na Bahia era de cerca de 60%. Três anos após o início do programa, o atendimento de Saúde da Família já chega a cerca de 72% dos baianos, que contam com 3.353 Equipes de Saúde da Família (ESF).

Atualmente, o Mais Médicos conta com 1.464 profissionais brasileiros e estrangeiros, que atuam em 386 municípios do estado, beneficiando cerca de 5,6 milhões de baianos, com uma média superior a 770 mil novas consultas médicas por mês no âmbito da atenção básica.

Ascom Sesab
/mais médicos/ chegada 197

Notícias relacionadas