Notícias /

Controle do diabetes é o caminho para a prevenção de complicações

01/02/2017 15:10

O diabetes é uma doença silenciosa. Muitas vezes o paciente pode estar se sentindo bem, mesmo com a glicemia elevada, embora a médio e longo prazo isto possa levá-lo a ficar doente. Assim, é muito importante o controle dos níveis de glicemia, da pressão arterial e das gorduras na circulação – colesterol e triglicérides. O assunto faz parte do Manual Diabetes – o que Fazer em Situações Especiais, do Dr. Walter J. Minicucci, endocrinologista, e médico assistente de Endocrinologia e Metabolismo da Unicamp (São Paulo), que o Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba) está divulgando para ampliar os conhecimentos dos diabéticos no Verão, tempo de mais viagens, férias e mudança de rotina

De acordo com as orientações do Manual, as pessoas com diabetes de tipo 2 devem ir ao médico no mínimo duas vezes ao ano – o ideal é a cada 4 meses – para verificar o controle da doença. As pessoas com diabetes de tipo 1 necessitam de consultas mais frequentes, e as mulheres grávidas, com diabetes, devem ir ao médico mensalmente e, sempre que possível, controlar o diabetes antes da gravidez.

Adultos com diabetes de tipo 2 devem fazer anualmente exames de fundo de olho, verificação anual de função renal – com dosagens de creatinina sanguínea, microalbuminúria (dosagem de urina em amostra isolada) e exame de urina tipo 1. Maiores de 40 anos devem ser avaliados por cardiologista, a cada ano, e fazer eletrocardiograma, ecocardiograma e teste de esforço, para se descartar doença cardiovascular.

Crianças e jovens com diabetes do tipo 1, recém-diagnosticados, não necessitam se submeter a esses exames, nem a testes de função renal de rotina, só necessitando realizá-los após três a cinco anos de doença; porém, devem realizar investigação de função tireoideana, com dosagens de T4 livre e TSH, ao diagnóstico e anualmente.

Alguns exames laboratoriais devem ser feitos, obrigatoriamente, no mínimo uma vez ao ano, para os pacientes adultos e também para jovens com diabetes de tipo 1 há mais de cinco anos. São eles: dosagem de creatinina sanguínea, urina, pesquisa de microalbuminúria (urina), dosagem de colesterol e frações e triglicérides. Outros podem ser necessários, dependendo de cada caso. A medida de hemoglobina glicosilada deve ser solicitada para todas as pessoas com diabetes, tipos 1 e 2, ou outros tipos de diabetes, no mínimo duas vezes ao ano.

Para se evitar as complicações do diabetes, as taxas de açúcar no sangue devem ser mantidas o mais próximo possível do normal. Manter as taxas de glicemia controladas é fundamental. Além disto, também é importante manter os níveis de colesterol e triglicérides dentro do ideal e os níveis de pressão arterial controlados.

Os valores normais de glicemia são: em jejum e antes das refeições – até 99mg/dl. Duas horas após as principais refeições – até 160mg/dl, idealmente até 140mg/dl. Nas pessoas com bom controle do diabetes, os níveis de glicose no sangue costumam estar normais ou pouco elevados. Os valores ideais de colesterol, em adultos com diabetes, são: colesterol total: 160mg/dl colesterol bom (HDL colesterol): maior ou igual a 50mg/dl colesterol ruim (LDL colesterol): menor ou igual a 100mg/dl Se tiver doença cardiovascular: Colesterol total: 100mg/dl colesterol bom (HDL colesterol): maior ou igual a 50mg/dl colesterol ruim (LDL colesterol): menor ou igual a 70mg/dl.

Amanhã (quinta-feira), o Cedeba mostrará os cuidados que devem ser observados ao verificar a glicemia.

Ascom do Cedeba
Cedeba/educativa

Notícias relacionadas