Notícias /

Manual orienta como agir em situações de cetoacidose diabética

07/02/2017 14:12

Quando há descontrole do diabetes nas pessoas com diabetes tipo 1, a urina pode apresentar corpos cetônicos. Também aparecem quando se está em jejum há muito tempo ou com hipoglicemia severa ou prolongada. As pessoas que têm diabetes tipo 1 (ou mesmo tipo 2) que estão enfermas, passando mal, com náuseas, vômitos, febre ou com taxas maiores que 250mg/dl devem sempre medir os níveis de cetonas na urina ou no sangue.

Em cetoacidose diabética, colher a urina, molhar a fita e esperar 15 segundos. Ler comparando com a escala do frasco. A presença de cetonas na urina pode indicar necessidade de ação imediata. Esse alerta faz parte do Manual Diabetes – o que Fazer em Situações Especiais, do Dr. Walter J. Minicucci, endocrinologista, e médico assistente de Endocrinologia e Metabolismo da Unicamp (São Paulo), que o Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba) está divulgando para ampliar os conhecimentos dos diabéticos no Verão, tempo de mais viagens, férias e mudança de rotina.

A cetoacidose diabética aparece em pessoas com diabetes do tipo 1 (antigamente denominadas insulino-dependentes). Pode também acontecer, porém raramente, naqueles com outros tipos de diabetes quando gravemente adoentados e com taxas de glicose acima de 500mg/dl. As cetonas que aparecem durante o jejum prolongado, com taxas normais ou baixas de glicose, não têm importância. O que fazer? Se houver cetona e glicose na urina, e for uma cetoacidose diabética, a pessoa com diabetes deverá estar urinando muito, tendo muita sede e sentindo-se mal e doente, é preciso procurar o médico, imediatamente.

O aparecimento de cetona na urina, quando em pequena quantidade, pode não significar uma emergência. Meça a glicemia; se os valores forem maiores do que 300 e se você tiver sido ensinado como proceder, corrija a hiperglicemia usando Insulina Regular ou ultrarrápida. Caso não melhore, procure um pronto-socorro.

Amanhã (quarta-feira), o Cedeba continua orientando os pacientes diabéticos, enfocando os cuidados com os vômitos.

Ascom do Cedeba

Cedeba/cetoacidose

Notícias relacionadas