Notícias /

Superintendências da Sesab apresentam suas ações aos gestores municipais

08/02/2017 15:01

Com o tema Organização da Rede de Atenção à Saúde, na primeira mesa redonda desta quarta-feira (8) do Seminário de Integração da Gestão da Saúde as ações das superintendências de Atenção Integral à Saúde (SAIS), de Gestão dos Sistemas de Regulação da Atenção à Saúde (Suregs) e Superintendência de Assistência Farmacêutica e Ciência e Tecnologia em Saúde (Saftec) foram apresentadas. O evento, que reúne mais de 360 secretários de saúde, está sendo realizado no Fiesta Hotel, em Salvador.

Alcina Romero, diretora da Atenção Especializada (DAE), que representou o superintendente da SAIS, Jassicon Queiroz, explicou a atuação da Rede de Atenção à Saúde que contempla qualificação; educação, informação, regulação, promoção e vigilância à saúde. Apontando, com isso, que as ações não podem ser isoladas, sendo necessária haver integração para o bom funcionamento da rede, uma vez que os pontos de referências inclui unidades de Atenção Básica, hospitais, Central de Regulação e unidades de Pronto Atendimento (UPA 24H), espalhados pelos 417 municípios.

A superintendente da Suregs, Ana Paula Andrade, apresentou o objetivo do setor, que são as ações estratégias de regulação da assistência à saúde. E acrescentou o funcionamento de cada diretoria. A de regulação é responsável por prover os serviços de saúde, o acesso à rede e os recursos de custeio da assistência, a exemplo do programa de Tratamento Fora do Domicílio (TFD).

Já a Diretoria de Projetos Estratégicos (Dirpro) é responsável pelas ações itinerantes levando diversos serviços relevantes aos municípios, a exemplo da cirurgia de catarata, odontologia, rastreamento do câncer de mama e o mutirão de cirurgias eletivas que faz parte do programa Saúde sem Fronteiras.

E a Diretoria de Contrato das Ações e Serviços de Saúde (Dicon) fica com as contratações e credenciamento dos serviços junto aos prestadores, sobretudo daqueles não oferecidos pela rede ou ainda quando há a necessidade de ampliação, a exemplo da contratação de leitos, principalmente no interior do estado que possui maior carência.

Para finalizar as apresentações da primeira mesa, a representante da Saftec, Franciele Guedes, explicou que a estruturação da assistência farmacêutica apresenta componentes de natureza técnica , científica, administrativa e política, além de sua inserção na Rede de Atenção à Saúde (RAS) ser estratégica para o sistema de saúde uma vez que promove o acesso, o uso racional e responsável de medicamentos.

Acrescentou ainda que a assistência farmacêutica é organizada por componentes: básico, estratégico, especializado e de uso hospitalar e sua distribuição se dá de acordo com fluxos e protocolos previamente estabelecidos, lembrando que nenhum setor público ou sistema de seguro de saúde é capaz de arcar ou suprir todos os medicamentos disponíveis no mercado.

Para isso é recomendado, pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a criação de uma Comissão Farmacêutica e Terapêutica (CFT) com a finalidade de implementar políticas institucionais relacionadas com a seleção, prescrição e uso racional de medicamentos.

 

  1. Documentos e Apresentações
  2. Fotos do Evento
  3. Página no Facebook

Notícias relacionadas