Notícias /

Cedeba chega aos 23 anos fazendo a diferença na saúde pública na Bahia

23/03/2017 18:10

Por dia, cerca de mil pessoas passam pelo Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba), vindas de todos os municípios da Bahia em busca de assistência especializada para diabetes, obesidade e outras endocrinopatias. Mas a importante unidade da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), que completa 23 anos nesta sexta – feira (24 de março), nasceu pequena – num espaço de 200 metros no Hospital Roberto Santos – e cresceu com a ampliação de serviços, que já exigem mais espaço físico, mesmo ocupando área de 2,5 mil m2 no Centro de Atenção à Saúde (CAS).

A unidade foi a concretização do sonho de um grupo de 16 profissionais de saúde, capitaneado pela endocrinologista Reine Marie Chaves Fonseca, fundadora e diretora do Cedeba – ao retornar de curso de especialização nos Estados Unidos – que visava à implantação de um novo modelo de assistência ao paciente diabético. A nova proposta fez o Cedeba caminhar para “fazer a diferença na saúde pública na Bahia,” como ressalta a diretora. Além de agregar novos serviços, nesses 23 anos, conquistou credibilidade, tornando-se referência em diabetes, obesidade e outras endocrinopatias na Bahia, no Brasil e no mundo.

A avaliação dos pacientes reforça a credibilidade do Cedeba. A aposentada Antonia Silva Coelho, 69 anos, que faz tratamento da tireóide e diabetes, começou a ser atendida na pequena sede do Rio Vermelho (Cedebinha) há 17 anos. “Era bem pequeninho, mas aqui (na atual sede), o atendimento continua muito bom”. Gosto muito de Dra. Ana Maria, que me acompanha há mais de 15 anos. Aqui também tenho medicação para o colesterol”.observou.

Com diabetes tipo 1, desde os 24 anos, Daniele Oliveira, 29 anos, vem do município baiano de Jagaquara para o Cedeba desde o diagnóstico da doença.Enfrentou dificuldades para levar adiante a gravidez da primeira filha, em razão do diabetes. Mas a bebê que recebeu o nome de Vitória, nasceu bem e já está com cinco meses. Daniele disse que os conhecimentos e orientações que recebe no Cedeba são muito importantes para o controle do diabetes.

A dispensação de medicamentos contribui para o grande fluxo de pessoas no Cedeba. Além de medicações de alto custo para o tratamento de doenças raras, distúrbios do crescimento, dentre outras, tem os análogos de insulina para pacientes que vêm de toda a Bahia, mesmo não sendo pacientes do Cedeba.

O movimento nos consultórios é intenso porque o Cedeba oferece tratamento multidisciplinar que reúne médicos especialistas, enfermeiros, nutricionistas, assistentes sociais, psicólogos e fisioterapeuta – Para os pacientes com diabetes, além de endocrinologistas, angiologistas, oftalmologistas, dermatologistas e cardiologistas.Tem ainda atendimento odontológico e laboratório de análises.

Mas o Cedeba, como Centro de Referência não é uma unidade de porta aberta. Os pacientes são encaminhados pela Atenção Básica de Saúde, que deve sempre observar os critérios definidos para cada enfermidade. Enquanto o diabetes tipo 1, por exemplo, o atendimento é geral, no casos de diabetes tipo 2, é referência para os pacientes com complicações, como nefropatias, AVC ou enfarte,pé diabético.

Com o crescimento do diabetes e obesidade, a demanda é muito grande, como explica a diretora do Cedeba, Reine Chaves. O diabetes sem complicações deve ser tratado pela Atenção Básica. E o Cedeba, por meio da Coordenação de Educação em Diabetes e Apoio à Rede (Codar) multiplica o seu conhecimento, treinando os profissionais da Atenção Primária.

Novas conquistas

A multiplicação do conhecimento deu importante salto no Cedeba com a Residência Médica em Endocrinologia, mais um sonho concretizado da diretora Reine Chaves. A formação de endocrinologistas é uma necessidade diante do pouco número de profissionais na especialidade e do crescimento dos casos de diabetes e obesidade em nosso País. No Cedeba, segundo a diretora, os residentes encontram vasto campo de aprendizagem porque além de diabetes e obesidade, também são atendidos pacientes com diversas endocrinopatias, como distúrbios da tireóide, puberdade precoce, atraso no crescimento,dentre outras.

Além da Residência, o Cedeba oferece programas de estágios que contemplam cursos da área de Saúde, voltados para o atendimento multidisciplinar, que marca o atendimento da unidade, ao lado de ações educativas que motivam o paciente a adotar atitudes voltadas para o auto-cuidado.

Com sua visão holística, a diretora do Cedeba também apostou no Ambulatório de Práticas Alternativas e Complementares, onde os pacientes contam com Reiki, Massoterapia e reflexologia podal para o alívio de suas dores. Caminhando para o segundo ano de funcionamento, o ambulatório está sendo muito bem aceito pelos pacientes.

O Laboratório de Análises também tem crescido com a incorporação de novos exames e novas tecnologias, garantindo rapidez e confiabilidade nos resultados. Importante suporte para os pacientes do Cedeba, em termos de conforto e segurança.

De acordo com a diretora, o respeito ao trabalho do Cedeba é resultado do apoio dos secretários de Saúde, ao longo desses anos, e de todos os colaboradores que vestem a camisa do Centro cotidianamente, garantindo atendimento de qualidade e humanizado, sempre de mãos dadas, para assegurar a melhor assistência à população que vem procura o Cedeba de toda a Bahia.

Ascom Cedeba
/cedeba/aniversário

Notícias relacionadas