Notícias /

Hoje, 2 de maio, comemora-se o Dia Mundial de Combate à Asma

02/05/2017 12:57

No dia 2 de maio se comemora o Dia Mundial de Combate à Asma, uma doença inflamatória crônica das vias aéreas. A asma caracteriza-se por um processo que afeta todo o organismo e não somente as vias aéreas inferiores, que aumentam a produção de secreções e prejudicam a passagem de ar. O asmático tem tosse freqüente, prolongada, geralmente durante a noite, nem sempre com catarro; chiado, cansaço, opressão no peito com dificuldade para respirar. Esses sintomas podem aparecer juntos ou ocorrer isoladamente. A existência de tosse crônica ou a falta de ar ao praticar exercícios físicos podem ser sintomas de asma.

O Dia Mundial de Combate à Asma foi criado pela Iniciativa Global contra a Asma (GINA), para chamar a atenção de médicos, pacientes, familiares e de toda a sociedade, que devem unir esforços para melhorar o diagnóstico, tratamento e controle da doença. Ele é lembrado em várias partes do mundo com atividades em escolas, hospitais, e locais públicos. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 300 milhões de pessoas sofrem de asma.

No Brasil, o Ministério da Saúde indica que 10% da população é asmática e o mal é responsável por 400 mil internações hospitalares. Em Salvador, a asma possui uma taxa de prevalência bastante elevada, atingindo 24% das crianças. A asma é a doença crônica que afeta crianças e adultos de qualquer idade. Ela se caracteriza por sintomas respiratórios recorrentes, tais como tosse, falta de ar e chiado no peito.

De acordo com a médica pneumologista Rosana Franco, a asma segue sendo um grande desafio para os pacientes, os médicos e para a sociedade devido a sua frequência crescente em várias partes do mundo. “Apesar dos grandes avanços científicos recentes, que possibilitam o adequado controle da doença, ela continua sendo subdiagnosticada e a maioria das pessoas com asma que não são tratadas adequadamente podem até morrer”, esclarece. Segundo dados do Ministério da Saúde, três brasileiros morrem por dia devido à asma.

“A asma mal controlada leva a um imenso sofrimento para os pacientes e suas famílias, gerando elevados custos para os sistemas de saúde e para a sociedade, com faltas ao trabalho e escola, internações e atendimentos em emergência devido às crises. O diagnostico da doença pode ser feito não só por meio da avaliação dos sintomas e do histórico familiar, como também através de teste de função pulmonar chamado de Espirometria”, explica Rosana Franco, acrescentando que a batalha contra a asma tem duas regras fundamentais: Uma boa relação entre o médico e o paciente com informação para que a pessoa saiba evitar exposição a desencadeantes ambientais

Na Bahia, a população conta com o Programa para o Controle da Asma (ProAR), que é um programa de extensão da Universidade Federal da Bahia, construído e desenvolvido em parceira com o Ministério da Saúde, Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) e Secretaria Municipal de Saúde de Salvador (SMS). É responsável pela realização de atividades assistenciais para asmáticos graves e ações que articulam o ensino e a pesquisa, sendo adotado e reconhecido pela Organização Mundial de Saúde como um modelo para o controle da asma.

L.S./M.Tb.909-Ba
/doença/asma/Dia Mundial