Notícias /

Profissionais participam de curso de vigilância e manejo de escorpiões em Santo Antônio de Jesus

26/05/2017 12:35

Foi realizado esta semana, em Santo Antônio de Jesus, no auditório do Instituto Federal da Bahia (IFBA), o “Curso de Vigilância e Manejo de Escorpiões nas Comunidades”, promovido pelo Núcleo Regional de Saúde Leste (NRS Leste), responsável pela Região de Saúde Santo Antônio de Jesus. Participaram do curso os Coordenadores de Vigilância Epidemiológica e Agentes de Combate às Endemias (ACE) dos municípios da Região.

O evento, que contou com o apoio do Centro de Informações Antiveneno (CIAVE), da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVEP/SESAB) e do IFBA- Campus Santo Antônio de Jesus, teve como objetivo oferecer instrumentalização teórica aos profissionais que atuam nas áreas de Vigilância Epidemiológica e Controle Vetorial dos 36 municípios que compõem as Regionais de Saúde de Santo Antônio de Jesus, Amargosa e Cruz das Almas, com base nas estratégias de enfrentamento dos escorpiões, propostas pelo Ministério da Saúde.

As biólogas Mara Albuquerque e Isys Mascarenhas falaram sobre a biologia desses animais e seu controle, orientando quanto às técnicas de segurança no trabalho de campo,organização e planejamento, busca ativa, fluxos, monitoramento e avaliação das atividades, e também para o envolvimento da comunidade.

A médica veterinária do Ciave, Aline Oliveira, abordou o tema “Escorpionismo: Problema de Saúde Pública”. Segundo a veterinária, foram notificados 1.868 acidentes por animais peçonhentos ocorridos na Região de Saúde Santo Antônio de Jesus em 2016, sendo que 1.035 (55,4%) destes foram causados por escorpiões, seguidos de 509 (27,5%) casos causados por serpentes. Só os municípios de Amargosa e Cruz das Almas registraram, respectivamente, 229 e 118 casos de acidentes escorpiônicos naquele ano.

Segundo o coordenador do Núcleo Regional, Radaman de Sousa Barreto, “a necessidade de atuação da gestão pública no controle de escorpiões emerge cada vez mais, uma vez que as medidas de controle, quando realizadas de maneira errônea, podem causar um resultado oposto ao desejado, potencializando a sua proliferação”. Ainda segundo Radaman, os escorpiões vêm adquirindo importância crescente, dada a sua notável adaptabilidade e capacidade de disseminação pelos ambientes urbanos.

O coordenador do Programa Nacional de Controle de Acidentes por Animais Peçonhentos na Bahia e coordenador técnico do CIAVE, o farmacêutico Jucelino Nery da Conceição Filho, ressalta a relevância do evento e afirma que a capacitação dos profissionais possibilita a fundamentação necessária às ações da Vigilância em Saúde, além de permitir o diagnóstico presuntivo da etiologia destes acidentes e, desse modo, a adoção de medidas efetivas de controle destes animais.

Fonte: Ciave
Ciave/manejo

Notícias relacionadas