Notícias /

Sesab terá representante em evento da OPAS sobre prevenção do suicídio

29/05/2017 14:06

Com o tema “Estabelecendo diálogo para a prevenção do suicídio no Brasil”, acontece amanhã e depois (30 e 31), no auditório da OPAS (Organização Panamericana de Saúde”, em Brasília, workshop com o objetivo de discutir estratégias para operacionalização das Diretrizes Nacionais para Prevenção do Suicídio, de forma articulada entre representantes do Ministério da Saúde e secretarias estaduais e municipais de Saúde, instituições acadêmicas, sociedade civil e ONGs nacionais e internacionais.

A psicóloga Soraya Carvalho, coordenadora do Núcleo de Prevenção ao Suicídio (NEPS), vinculado ao Centro de Informações Antiveneno (Ciave), da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), será a representante da Bahia no evento, que visa organizar uma rede de atenção à saúde que garanta linha de cuidados integrais no manejo dos casos de tentativas de suicídio, com vistas à redução do dano do agravo e melhoria do acesso dos pacientes ao atendimento especializado, quando necessário. Dados do Ministério da Saúde apontam que o fenômeno do suicídio é um grave problema de saúde pública, que afeta toda a sociedade e que pode ser prevenido.

Ainda de acordo com dados do Ministério da Saúde, observa-se um aumento na frequência do comportamento suicida entre jovens entre 15 e 25 anos, de ambos os sexos, escolaridades diversas e em todas as camadas sociais, com grande impacto e danos causados pelo suicídio e as tentativas nos indivíduos, nas famílias, nos locais de trabalho, nas escolas e em outras instituições.

O NEPS

O Núcleo de Estudo e Prevenção do Suicídio do Ciave acompanha pacientes oriundos de unidades hospitalares da rede pública estadual, por tentativa de suicídio. O serviço, que inicialmente funcionou de forma ambulatorial, apenas para pacientes atendidos no Hospital Geral Roberto Santos, a partir de 2007 passou a dispor de maior espaço físico – são três consultórios e uma área para terapia ocupacional-, e maior número de profissionais especializados.

Pioneira no país, a experiência de acompanhamento psicológico ambulatorial contínuo a pacientes com comportamento suicida, implementada no Neps, já foi apresentada em diversos encontros científicos. Segundo Soraya Carvalho, a continuidade do acompanhamento posterior ao atendimento emergencial tem resultado numa taxa inferior a 0,01% na reincidência de tentativas de suicídio. De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), cerca de um milhão de suicídios são contabilizados anualmente, e para cada caso de suicídio estima-se que ocorram 15 a 25 tentativas, sendo a depressão o principal fator associado ao risco de suicídio.

Ascom/Sesab
Ciave/workshop

Notícias relacionadas