Notícias /

A Escola Estadual de Saúde Pública participou do Fórum de Educação Inclusiva

24/07/2017 13:49

Na última semana ocorreu o Fórum de Educação Inclusiva, em Salvador. Durante dois dias de evento foram debatidos temas como “A pessoa com deficiência múltipla como um sujeito de direitos”, “A pessoa com deficiência e a integralidade do cuidado”, dentre outros.

No primeiro dia a promotora de justiça Cíntia Guanaes, do Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), esclareceu questões a respeito da legislação sobre os direitos da pessoa com deficiência, em especial no que tange à educação.

E a estudante Janine Farias, primeira surdocega congênita do Brasil a ingressar em uma universidade, também participou da mesa e apresentou suas experiências em relação às superações diárias dos desafios impostos por sua deficiência e pôde passar mensagem de motivação para os participantes.

Segundo Jaciete dos Santos, idealizadora e coordenadora-geral do fórum, “a deficiência é uma forma de manifestação da diversidade humana, mas ela ainda é uma diferença negada, invisibilizada. É importante pensar a deficiência como uma questão de direitos e justiça social”.

Representante da Secretaria Estadual da Saúde (SESAB), Marcele Carneiro Paim, diretora da Escola Estadual de Saúde Pública (EESP) da Superintendência de Recursos Humanos da Saúde (SUPERH), parabenizou os organizadores do evento pela iniciativa de reunir profissionais de saúde, educação e serviço social para discutir o papel de todas as áreas na condução e promoção de estímulos para vida da pessoa com deficiência.

No segundo dia, entre outras atividades, aconteceu a palestra ministrada pela professora Silvia Pereira, da Universidade Federal do Recôncavo Baiano”, com a mediação de Cristiane Sampaio, técnica da EESP, que buscou, nesse diálogo com a palestrante, esclarecer ao público, predominantemente da educação, sobre a importância da integralidade para SUS e sobre a organização dos serviços de saúde nos territórios.

Fonte: EESP

Notícias relacionadas