Notícias /

Ciave alerta para o risco na ingestão de algumas sementes

01/08/2017 15:09

Ingerir o caroço ou sementes de algumas frutas não faz mal para a saúde, seja acidentalmente ou não. Entretanto, o farmacêutico Jucelino Nery, do Centro de Informações Antiveneno (Ciave), alerta para o cuidado na ingestão das sementes e caroços de frutas, porque embora algumas não façam mal quando ingeridas com moderação, outras possuem, junto com os nutrientes, algumas substâncias que podem ser tóxicas. Por isso, é importante obter informações a respeito dos seus valores nutricionais e também dos riscos à saúde.

Segundo especialistas, alguns caroços e sementes oferecem tanto ou mais nutrientes do que a própria polpa. Como exemplo, podemos citar como exemplos o caroço do abacate, que possui 70% mais antioxidantes (que combatem o envelhecimento) do que a própria fruta, e as sementes da melancia, ricas em vitaminas e sais minerais que ajudam a manter cabelo, unhas e pele saudáveis. Estas sementes devem ser mastigadas ou batidas no liquidificador, junto com a polpa para que seus nutrientes sejam absorvidos.

Com relação a riscos para a saúde, Jucelino Nery cita como exemplos as sementes e caroços de pera, maçã, cereja, damasco e pêssego, que possuem um composto chamado amigdalina que, em contato com as enzimas do corpo humano, libera o cianeto, substância capaz de gerar dor de cabeça, confusão mental, vômitos e até mesmo óbito. O farmacêutico tranquiliza, informando que ingerir uma ou duas sementes de pêra ou maçã não vai fazer mal.

Segundo matéria divulgada pela BBC, um homem sofreu intoxicação por cianeto depois de abrir três caroços de cerejas e comer a semente contida em cada um deles, em Lancashire, no Reino Unido. Segundo a vítima, a “curiosidade” quase o matou quando ele decidiu morder as sementes. Logo em seguida, começou a se sentir mal, sendo encaminhado para o hospital.

Segundo o relato, 20 minutos após comer três sementes, ele sentiu cansaço extremo e teve uma dor de cabeça. A vítima só percebeu o potencial de envenenamento após uma busca on-line, e ligou para o serviço de emergência. Ele foi levado ao Hospital Blackpool Victoria, onde recebeu um antídoto.

Segundo Jucelino, muitas vezes casos semelhantes ocorrem e as pessoas não se dão conta de que sofreram uma intoxicação. “Casos assim podem ocorrer também com quem tem o hábito de utilizar a noz moscada com fins terapêuticos, pois esta semente possui uma substância chamada de miristicina, que em grande quantidade (geralmente mais de uma semente) produz séria intoxicação. Eventos como este já foram atendidos pelo Centro Antiveneno”, explicou.

Fonte: Ciave
/ciave/sementes