Notícias /

Mulheres aprovam a Conferência como um espaço de diálogo

01/08/2017 20:55

“A Conferência permite que as mulheres tenham voz e vez”, disse a delegada do segmento do usuário, Marilza Cardoso de Matos, que veio representando o município de Araci na 1ª Conferência de Saúde das Mulheres, que ocorre no Fiesta Convention Center, em Salvador, até esta quarta-feira (02).

E foi pensando assim que a biomédica Hellaynne Paes e a estudante de Nutrição, Endyan Brito, saíram de Irará para lutar pelo bem estar coletivo, mesmo sem terem sido eleitas delegadas. A biomédica disse que veio como convidada por perceber que as mulheres precisam, cada vez mais, ocupar os espaços que permitem uma discussão ampla e irrestrita das suas necessidades. E Edyan Brito complementou: “sobretudo nós, que somos do interior, de cidades pequenas, que antes éramos tratadas como mulheres sem conhecimento, sem esclarecimento, temos que mostrar que nós podemos conquistar nosso espaço, seja aqui nesta conferência, seja numa universidade como a USP”.

No evento, que começou na última segunda-feira (31), as mulheres estão discutindo os assuntos mais relevantes da vida feminina, como violência doméstica, sexual, saúde da mulher, diferenças salariais e condições de trabalho. Este último, na fala de Marselle Carvalho, tem consequências na saúde das mulheres podendo causar estresse, ansiedade, depressão, doenças cardiovasculares e endócrinas, diabetes e síndrome de esgotamento profissional.

Mas a conferência, embora sendo das mulheres, conta com a participação de homens que apoiam a causa feminina, a exemplo de Cláudio Vieira, delegado eleito na etapa macrorregional do segmento usuário, único representante do seu município (Monte Santo). Ele possui uma doença rara, que impediu o desenvolvimento dos seus membros, mas não afetou sua vontade de viver, de buscar seu espaço, por isso mesmo está na conferência, pois vê a iniciativa como “um ponta pé inicial para incentivar e mobilizar as mulheres a lutarem para conquistar seus espaços”, ressaltou Cláudio, que é exemplo de superação e de conquistas.

A Conferência ainda conta com expositores de diversas áreas, como ouvidoria, saúde mental, instituições filantrópicas, sindicato dos aposentados, associações como dos renais crônicos e anemia falciforme, população em situação de rua e uma feira solidária popular. Além da tradicional Tenda Maria Felipa, que trata temas importantes com leveza e ludicidade.

Eixos temáticos: A Conferência conta com quatro eixos temáticos: O papel do Estado no desenvolvimento socieconômico e ambiental e seus reflexos na vida e na saúde das mulheres; O mundo do trabalho e suas consequências na vida e na saúde das mulheres; Vulnerabilidade nos ciclos de vida das mulheres na Política Nacional de atenção integral à saúde das mulheres e Políticas Públicas para mulheres e participação social. Até amanhã, as salas de discussões, tendo como base estes quatro eixos, saem com as propostas para serem apresentadas na etapa Nacional da Conferência de Saúde das Mulheres, que ocorrerá nos dias 17, 18, 19 e 20 de agosto, em Brasília.

Notícias relacionadas