Notícias /

Sessão de atualização em diabetes do Cedeba discutiu dispensação de análogos de insulina

02/08/2017 15:22

Até o final deste mês, a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), por meio da Diretoria da Assistência Farmacêutica (DASF), conclui a implantação do processo de descentralização da dispensação dos análogos de insulina na rede pública, iniciado em julho, de acordo com a portaria 681 de junho de 2017. O assunto foi discutido na sessão mensal de atualização em diabetes que o Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba) promove por meio da Coordenação de Educação em Diabetes e Apoio à Rede (Codar) para os profissionais da atenção primária da capital e do interior.

Realizada no auditório do Centro de Atenção à Saúde (CAS), a sessão reuniu as farmacêuticas da Coordenação Judicial de Assistência Farmacêutica da Sesab, Isabelita Nonato e Vanessa Lemos. Do Cedeba, a coordenadora técnica, a endocrinologista Flávia Resedá, e a farmacêutica Mariana Melo. Elas explicaram que os processos de solicitação de tratamento com análagos de insulina, com a descentralização, continuam obedecendo a portaria 1603 de 14 de novembro de 2012, que regulamentou o Protocolo Técnico para dispensação de Análogos de Insulina de Ação Basal e Ultrarápida na rede pública de saúde para pacientes com diabetes.

A farmacêutica do Cedeba, Mariana Melo, passou aos participantes as orientações sobre a dispensação, desde a necessidade de autorização do paciente ao portador, quando ele não pode comparecer para receber os análogos, a caixa térmica para acondicionamento, os exames necessários, a documentação. Observou ser interessante que o pedido para renovação do tratamento – é feito a cada seis meses – seja encaminhado um mês antes do vencimento do prazo.

A descentralização da dispensação, segundo Mariana Melo, representa maior acessibilidade e adesão do paciente ao tratamento e redução de tempo e gastos com deslocamento. Além disso, permitirá, também, melhor relação entre o paciente e a equipe de saúde.

Com a descentralização da dispensação, para realizar o primeiro atendimento, os formulários que serão preenchidos pelo médico, serão encaminhados pelos Núcleos e Bases de Saúde determinados pela Sesab ao Cedeba, onde serão avaliados pela Comissão Técnica especializada, procedimento idêntico ao que vinha sendo feito antes da descentralização.

Mariana Melo também explicou que os profissionais terão que também passar orientações técnicas quanto ao uso da agulha para as canetas de aplicação dos análogos, transporte do medicamento, aplicação, até o descarte correto do material utilizado.

CRITÉRIOS

A coordenadora técnica do Cedeba mostrou que os critérios para a dispensação de análogos de insulina permanecem e podem ser conferidos no site do Cedeba. www.saude.ba.gov.br/cedeba , na aba serviços/análogos de insulina.

Os análogos de insulina – explicou – são dispensados de acordo com critérios definidos no protocolo. Pacientes com freqüentes episódios de hipoglicemia (duas a três por semana), diabetes lábil (quando há uma grande variação de valores glicêmicos: de 60 a 300, por exemplo). Casos de lipoatrofia insulínica, em dois ou mais locais pela aplicação da insulina, ter feito terapêutica prévia, de pelo menos seis meses de insulina humana para insulina de ação basal.

Além dos critérios para iniciar o tratamento, para a continuação o paciente precisa manter a glicemia sob controle, o que é avaliado com o exame laboratorial de hemoglobina glicada ( dá a média da glicemia dos últimos três meses). De acordo com o protocolo, são definidas metas de redução da hemoglobina glicada que variam de acordo com a idade do paciente.

A descentralização da dispensação, segundo Isabelita Nonato, ampliará significativamente a demanda por análogos de insulina. Em três dias, após o início da descentralização, foram encaminhados 435 processos.

Vanessa Lemos, observou que é preciso lembrar que a dispensação de insumos, necessários para o controle do diabetes como fitas e lancetas, continua sendo de responsabilidade dos municípios, por meio da atenção básica.

As sessões de atualização em diabetes, iniciativa do Cedeba por meio da Coordenação de Educação em Diabetes e Apoio à Rede (Codar), acontecem sempre na primeira terça-feira de cada mês, no auditório do CAS, tendo como público alvo a equipe multidisciplinar (Saúde da Família, Centros de Referência e instituições de ensino superior).

Ascom do Cedeba
Cedeba/sessãoagosto

Notícias relacionadas