Notícias /

Sesab promove oficinas do Projeto “Zero Morte Materna por Hemorragia”

17/08/2017 13:46

A Secretaria de Saúde do Estado da Bahia, através da Diretoria da Gestão do Cuidado, responsável pela coordenação da Política de Atenção Materno Infantil e execução do Projeto Zero Morte Materna por Hemorragia Pós-Parto no Estado, está realizando, em parceria com o Ministério da Saúde, 10 oficinas regionais, entre os meses de agosto e outubro, com o objetivo de formar multiplicadores regionais no manejo das hemorragias, bem como no uso do traje antichoque. O acompanhamento das oficinas é feito presencialmente pela Sesab, por equipe da Diretoria de Gestão do Cuidado/Área Técnica da Saúde Mulher.

As oficinas acontecerão nos municípios de Salvador, Vitória da Conquista, Ilhéus, Porto Seguro, Feira de Santana, Jacobina, Juazeiro, Barreiras e Alagoinhas, alcançando cerca de 200 profissionais entre médicos e enfermeiros obstetras, das 70 unidades hospitalares e maternidades da rede SUS Bahia, envolvendo as nove macrorregiões de saúde do estado.

A primeira oficina ocorreu no período de 12 a 13 de agosto últimos, no Hospital Esaú Matos, em Vitória da Conquista, capacitando 24 profissionais de saúde (médicos e enfermeiros obstetras) de oito unidades hospitalares pertencentes à macrorregião Sudoeste.

A Bahia recebeu do Ministério da Saúde, 64 trajes antichoques não pneumáticos (TAN), que serão entregues às unidades hospitalares, após a realização de cada oficina.

A redução da mortalidade materna na Bahia é uma prioridade do Governo, assim como do Ministério da Saúde. Entre as principais causas diretas de mortes maternas no estado estão os transtornos hipertensivos e as hemorragias, sendo ambas causas evitáveis.

Esta ação impactará na melhoria da atenção à saúde materna no Estado e na redução da mortalidade materna por hemorragia. Desta forma, contribuirá também na implementação da Rede Cegonha na Bahia, uma iniciativa do Governo Federal que consiste numa rede de cuidados que visa assegurar à mulher o direito ao planejamento reprodutivo e à atenção humanizada à gravidez, ao parto e ao puerpério, bem como à criança o direito ao nascimento seguro ao crescimento e ao desenvolvimento saudáveis.

Fonte: Diretoria de Gestão do Cuidado/Área Técnica da Saúde Mulher.
Mortalidade/oficina

Notícias relacionadas