Notícias /

Atividades do “Setembro Verde” chamam atenção para a doação de órgãos

01/09/2017 20:19

“Agradeço muito a Deus e a família que me doou os rins do seu ente querido”. Foi reconhecendo este ato de amor que Joselito Sampaio Rios, 57 anos, começou a contar sua história e ressaltar como o transplante, realizado há 11 anos, mudou a sua vida. “Eu passei a fazer coisas simples, como ir ao interior visitar minha família sem me preocupar com a volta, mesmo antes de viajar”, disse Joselito, explicando que por sete anos ele fez hemodiálise duas/três vezes na semana.

Ele estava no Hospital Geral Roberto Santos (HGRS) nesta sexta-feira (01), durante o lançamento do “Setembro Verde”, mês dedicado à Campanha de Incentivo à Doação de Órgãos e fez questão de ressaltar a importância das famílias que se dispõem a doar os órgãos de um parente para salvar vidas.

E o diretor do HGRS, José Admirço Lima Filho, acrescentou que existem várias formas de amar “e a doação de órgãos é uma delas”. O diretor, que está à frente de uma unidade captadora de órgãos, abraçou a causa e está apoiando a campanha, que é uma iniciativa da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), por meio da coordenação do Sistema Estadual de Transplantes.

Na oportunidade, a coordenadora do Sistema Estadual de Transplantes, Rita de Cássia Pedrosa, explicou que a Bahia passa por um momento muito importante, pois houve um crescimento em torno de 14% no número de doações e de 5,88% de múltiplos órgãos durante o primeiro semestre (janeiro a julho) desse ano, em comparação ao ano passado. Com isso, foi possível aumentar o número de transplantes de córneas em 15,49%; de fígado em 55,5%, de rim cadáver em 48,14%. O número de transplante de rim com doador vivo também apresentou aumento de 20% e o de medula óssea registrou um crescimento de 10,94%.

No entanto, a médica Rita de Cássia Pedrosa disse que, embora tenha sido observado um aumento no número de doações, a espera por um órgão e por tecido ainda é bastante expressiva, apesar dos investimentos que estão sendo feitos pela Sesab. “A negativa familiar à doação ainda é bastante significativa, e ocorre não apenas por questões de cunho religioso, mas também pela falta de conhecimentos adequados sobre o processo doação/transplante, não só por parte da população em geral, como também dos próprios profissionais de saúde”, concluiu.

PROGRAMAÇÃO

As atividades do “Setembro Verde” prosseguem com a abordagem do da temática da Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes todas as terças-feiras do mês, das 7h30 às 8h30 nas sessões clínicas do HGRS. Entre os dias 19 a 28, no Shopping da Bahia, haverá a exposição fotográfica de pacientes transplantados “Diga sim à vida”. No dia 13, acontece apresentação musical no HGRS e no Hospital do Subúrbio, com sensibilização para a doação de órgãos.

No dia 15, de 8 às 17 horas, será promovido um seminário sobre o processo doação/ transplantes para profissionais do Hospital Geral do Estado (HGE), e entre os dias 20 e 22, Curso de Capacitação de Coordenadores de Comissões Intra Hospitalares de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTTs), no HGRS. No primeiro dia do seminário (20), de 14 às 17 horas, haverá uma discussão aberta ao público, sobre o tema Doação de Órgãos e Religião. Além disso, as CIHDOTT´s e as Organizações de Procura de Órgãos (OPOs) da capital e do interior do estado irão realizar ações de sensibilização para a importância da doação de órgãos e tecidos em suas respectivas unidades hospitalares.

Para a coordenadora do Sistema Estadual de Transplantes, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), Rita de Cássia Pedrosa, os investimentos que estão sendo feitos pelo Governo do Estado nessa área, têm se revertido em resultados “muito benéficos para a população que precisa de um transplante”

Notícias relacionadas