Notícias /

Cedeba foca na prevenção no Dia Mundial do Diabetes

13/11/2017 18:00

Há 10 anos, quando se preparava para fazer uma cirurgia de varizes, Maria Natividade Santos, moradora de Candeias, na Região Metropolitana de Salvador — atualmente com 76 anos – recebeu o diagnóstico de diabetes, já num estágio avançado e complicações que levaram à amputação da perna direita. Presa a uma cadeira de rodas, enfrenta limitações que a deixam muito triste. Antes do diabetes, trabalhava como cozinheira de restaurante e gostava muito de sair para passear.

Acompanhada no Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (CEDEBA), ela hoje fez avaliação do pé, atividade que abriu a programação do Dia Mundial do Diabetes, amanhã, 14 de novembro. No exame, são avaliadas as condições do pé em relação a ulcerações, calosidades, micoses e o teste de sensibilidade, para identificar aqueles com risco de “pé diabético”, uma das complicações do diabetes sem controle, como explica a coordenadora de Educação em Diabetes e Apoio à Rede do Cedeba (Codar), Graça Velanes”.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) define o “pé diabético” como: “situação de infecção, ulceração ou também destruição dos tecidos profundos dos pés, associada a anormalidades neurológicas e vários graus de doença vascular periférica, nos membros inferiores de pacientes com diabetes mellitus”.

Nas pessoas com diabetes, a incidência de ulceração é de 25%, em razão do pé diabético, e 85% das úlceras precedem as amputações, caracterizando importante problema de saúde pública. As complicações nos pés e em especial as feridas causam impacto para a pessoa com diabetes mellitus, quanto à qualidade de vida e para o sistema de saúde, pois geram encargos e custos financeiros com internações prolongadas.

Prevenção

A programação do Dia Mundial do Diabetes – a data foi definida pela Federação Internacional de Diabetes (IDF), entidade vinculada à Organização Mundial da Saúde (OMS), e introduzida no calendário em 1991, como resposta ao alarmante crescimento do diabetes em todo o mundo – prossegue até quinta – feira no Cedeba.

Hoje serão realizados, para pacientes do Cedeba, testes rápidos de triglicérides e colesterol. Também terá palestra pela oftalmologista Tessa Mattos sobre Retinopatia Diabética – outra complicação do diabetes e a principal causa de cegueira no mundo – que fará apresentações itinerantes pelas diversas alas do Centro, para atingir o maior número possível de pacientes.

Na quinta- f eira (16), a programação será encerrada com os serviços do Ambulatório de Práticas Alternativas e Complementares, em funcionamento há dois anos no Cedeba, com grande aceitação dos pacientes. Reiki, Reflexologia Podal são técnicas que ajudam muito no relaxamento do paciente.

Negação

Além de a maioria das pessoas receber o diagnóstico quando já convive há muito tempo com o diabetes sem saber, outro problema é a negação. Com 65 anos, Lindalva Maria Alves ficou revoltada ao receber o diagnóstico de diabetes.Tinha ido ao cardiologista e ” quando o médico me disse seu coração está bom, mas a senhora está com diabetes, chorei muito”. No Cedeba tem acompanhamento psicológico que a ajuda a conviver com a doença, mas confessa que adora massas e não segue o plano alimentar.

Segundo Graça Velanes é muito importante a realização de um exame de glicemia, pelo menos uma vez por ano, a partir dos 18 anos, como recomenda o Ministério da Saúde. E esse cuidado é ainda mais importante para as pessoas que fazem parte do grupo de risco: hereditariedade, obesidade. Para a prevenção é muito importante uma alimentação saudável, que deve limitar o consumo de alimentos processados e o uso de carboidratos simples, como os doces.

Mobilização

Além das atividades voltadas para as pessoas atendidas no Centro de Referência, o Cedeba fez amplo trabalho de mobilização na rede de saúde, na capital e no interior, para que realizem atividades que despertem a atenção para o 14 de Novembro. Amanhã é de dia usar azul, cor do diabetes, nas unidades de saúde. Pode ser nas roupas, na decoração dos espaços, até na iluminação de praças e monumentos.

O diabetes é uma doença que atinge os jovens e idosos, ricos e pobres. Em 2015, A Federação Internacional de Diabetes demonstrou que mais de 415 milhões de pessoas no mundo são acometidos pelo diabetes. Até 2040, estima-se que um em cada dez adultos em todo mundo desenvolverão o agravo.

Integrando a Campanha, a Associação de Diabetes – FENAD e a Sociedade Brasileira de Diabetes – SBD – continuam alinhando o foco de ações na conscientização global sobre o diabetes, sua forma de prevenção e o fortalecimento de atitudes voltadas para o auto – cuidado para as pessoas com diabetes.

Este ano, a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia – Sesab/Cedeba adotou o tema:”A Mulher e o Diabetes: Nosso Direito a um Futuro Saudável.” Como nos demais anos, a Sesab/Cedeba vem motivando os gestores municipais de saúde para que invistam em ações educativas que possibilitem prevenir ou retardar o aparecimento do diabetes e, de forma particular, na prevenção da retinopatia diabética.

Ascom do Cedeba
Cedeba/dia1

Notícias relacionadas